Vida Urbana

Educação: Governo da Paraíba publica protocolo sanitário para atividades escolares

Mesmo com as regras estabelecidas, não há previsão de retorno às atividades escolares presenciais.




O Governo da Paraíba divulgou nesta sexta-feira (28) um protocolo de biossegurança para o segmento da educação, com orientações técnicas e legais para a prevenção da Covid-19 em ambientes escolares. Apesar de determinar algumas regras sanitárias para o setor, a publicação do protocolo não impõe a reabertura dos locais de aula.

>>> Confira aqui o protocolo sanitário para a Educação na Paraíba

Conforme a publicação, desenvolvida pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), o objetivo da criação do protocolo é promover uma preparação para um eventual retorno das atividades escolares presenciais no futuro. O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, afirmou que o estado está iniciando uma pesquisa sorológica em residências com crianças e jovens, com idades entre 3 e 17 anos, que convivem com pessoas do grupo de risco para a Covid-19.

“Esse é um segmento ao qual temos que ter prudência. Após o resultado desse inquérito sorológico, nós teremos uma definição da abertura das aulas presenciais. A Secretaria de Saúde acredita na ciência e acha que este não é o momento ideal para a abertura”, pontua.

Basicamente, o “Protocolo Novo Normal Educação” estabelece as seguintes medidas:

  • Capacitações com os docentes, técnico-administrativos, prestadores de serviços e colaboradores que estarão em atendimento aos alunos e ao público em geral;
  • Compartilhamento de informações claras, concisas e precisas sobre a Covid-19;
  • Normalização da comunicação sobre medo e ansiedade, para promover estratégias de autocuidado para os alunos, suas famílias, professores e funcionários da escola;
  • Estímulo ao método de ensino não presencial.

Com relação às medidas sanitárias, o protocolo orienta que as escolas prezem pelo distanciamento social, higiene pessoal, limpeza e higienização de ambientes, bem como o monitoramento do quadro de saúde dos estudantes e funcionários.

Para os subsetores da educação infantil, do ensino fundamental, médio, da Educação de Jovens e Adultos (EJA), do ensino superior, profissional e complementar. Para a educação infantil, fica recomendado a realização de intervalos intercalados entre as turmas para reduzir a quantidade de crianças em um único espaço.

O uso de máscaras de proteção facial nos espaços escolares é obrigatório, bem como a higienização das mãos com álcool em gel ou sabão, ao entrar nos estabelecimentos.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.