Vida Urbana

Dois hospitais referências para Covid-19 em João Pessoa não realizam tomografia, aponta CRM

Órgão fiscalizou unidades nesta sexta-feira (5); Exame é essencial para diagnóstico e tratamento da Covid-19.




Foto: divulgação/secom-jp

Dois hospitais referências no tratamento da Covid-19 em João Pessoa não estão realizando exames de tomografia, conforme constatação do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB). Segundo o órgão, o Hospital Santa Isabel e o Hospital Prontovida estão sem acesso à tomografia pela ausência do tomógrofo e de um fluxo de realização do exame.

O exame de tomografia é essencial para diagnóstico e acompanhamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus. De acordo com o conselheiro do CRM, Bruno Leandro, apesar da falta de procedimentos de tomografia, o CRM constatou que as unidades possuem estoque de Equipamento de Proteção Individual (EPI) e medicamentos suficientes. 

“Apesar de vários pontos positivos, os dois hospitais não realizam tomografias em seus pacientes. Se os hospitais não possuem o equipamento, podem fazer um convênio com outra unidade de saúde para que os pacientes, sobretudo os da enfermaria, tenham acesso a este exame. Pacientes estáveis podem ter o pulmão comprometido. Em alguns casos, se não tiverem uma avaliação adequada, com uma tomografia, além dos exames clínicos, podem agravar, ir para a UTI ou morrer”, explicou.

No Hospital Santa Isabel, 29 dos 40 leitos de UTI disponíveis e seis dos 20 de enfermaria estavam ocupados durante a fiscalização. Segundo Bruno Leandro, mais 10 respiradores e monitores chegarão no hospital, fazendo com que seja totalizada a instalação de 50 UTIs. Oito médicos da unidade estão afastados com suspeita ou confirmação de infecção pelo novo coronavírus.

Já no Hospital Prontovida, nove dos 16 leitos de UTI e 12 dos 30 de enfermaria estão ocupados. “As informações sobre a escala médica e a experiência dos médicos do hospital não foram repassadas durante a fiscalização, nem pela diretoria geral, nem pela diretoria técnica. Esses dados que foram negados são importantes para checar se estão de acordo com a necessidade dos pacientes”, afirmou Bruno Leandro.

Os relatórios feitos pelo CRM serão entregues à Secretaria Municipal de Saúde (SES) de João Pessoa e às diretorias técnicas dos hospitais.Ao JORNAL DA PARAÍBA, a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Saúde (SES) de João Pessoa informou que não notificada pelo Conselho Regional de Medicina (CRM) e só vai se posicionar após receber notificação.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.