Vida Urbana

Documentação entregue pelo Sintepb

Ex-secretário Afonso Scocuglia entregou o cargo ao governador no dia 4 de abril deste ano; para o coordenador do Sintepb, a denúncia é grave.




Os documentos foram entregues ao Ministério Público da Paraíba pelo coordenador geral do Sintepb, Carlos Berlamino. Ele disse que a denúncia é grave e precisa ser apurada. Na opinião dele, se comprovado, o desvio pode ser o responsável pelo agravamento da crise que afeta a educação pública do Estado.

De acordo com o sindicalista, o governo não paga o piso nacional dos professores, fixado em R$ 1.088.25, e ainda obriga os estudantes a assistirem aulas em escolas com péssimas condições estruturais.

“Na Paraíba, o piso dos docentes é de R$ 1.038,00, muito abaixo do que estabelece o piso nacional. No ensino médio inovador, por exemplo, que foi implantado em 36 escolas do Estado, não há refeitórios ou sanitários suficientes para atender a demanda de alunos. Os estudantes também sofrem com a deficiência na quantidade de merenda fornecida”, afirmou.

O ex-secretário Afonso Scocuglia entregou o cargo ao governador no dia 4 de abril deste ano. De acordo com informações divulgadas na imprensa, Scocuglia não se desligou dos quadros governamentais e foi trabalhar diretamente com o chefe do executivo estadual, acompanhando os projetos da Secretaria de Educação do Estado, como consultor educacional e pedagógico.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.