Vida Urbana

Deslocamento piora em CG

Fórum discutirá mobilidade urbana na cidade de Campina Grande, onde o aumento da frota de veículos vem causando transtornos.




O crescimento no número de automóveis e motocicletas, aliado ao desrespeito às leis de trânsito e à opção por não utilizar o sistema coletivo de transporte urbano tem provocado congestionamentos e dor de cabeça, para quem mora em Campina Grande. Estimativas do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros (Sitrans) do município apontam que o campinense está gastando até 30% de seu tempo de deslocamento em congestionamentos; uma média parecida com o registrado nacionalmente.

A entidade está fazendo um levantamento dos principais pontos de ‘gargalo’ registrados na cidade, com o objetivo de melhorar a qualidade dos serviços do sistema de transporte público.

De acordo com os dados do Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran), a frota de carros nas ruas da cidade cresceu 165% nos últimos 11 anos. Até junho passado, o órgão registrava 130.746 veículos motorizados com placas de Campina Grande.

Entre os que mais sofrem com os congestionamentos são os usuários de transportes públicos. Diariamente, a frota de ônibus urbano transporta em média 100 mil passageiros, segundo o Sitrans. Um dos pontos que apresenta maior lentidão é o trânsito da Avenida Canal. Segundo o diretor institucional do Sitrans, nos horários de maior movimentação os ônibus demoram cerca de 18 minutos para fazer o trajeto entre o prédio da Fiep até a chegada na parada localizada na Arca Catedral. “Esse percurso antes era feito em 5 ou 7 minutos” lembra com preocupação o diretor institucional do Sitrans, Anchieta Bernardino. “Com fiscalização e a criação desses corredores seletivos a fluidez dos ônibus será feita sem problemas, dentro do tempo definido para as rotas, permitindo que os usuários tenham um serviço com mais qualidade. ”, acrescentou Anchieta.

Para contribuir com propostas e soluções para a mobilidade urbana de Campina Grande, será realizado no próximo dia 17 deste mês o Fórum Permanente sobre Mobilidade Urbana. Uma das temáticas que serão discutidas no evento será a “Mobilidade Urbana e a Responsabilidades dos Municípios – aspectos legais”, apresentado pela engenheira civil em mestre em transporte público, Valeria de Castro Costa Barros. No segundo painel a temática será “As novas tecnologias e os benefícios da Integração Tarifária Regional”, que será apresentado pelo diretor comercial da empresa Transdata Smart, Devanir Magrini.

De acordo com Salomão Augusto, superintendente da STTP (Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos de Campina Grande), “numa cidade como esta, não há condições de um cidadão perder mais de sete horas no trânsito. As pessoas reclamam do sistema de transporte daqui, mas este é um dos melhores do Nordeste. Campina não tem engarrafamento, e sim, pontos de lentidão, onde um carro pode levar até oito minutos parados no mesmo ponto", analisou Salomão.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.