Vida Urbana

CUT falará sobre depredação de posto da Energisa à Justiça

De acordo com Arimatéia França, a CUT-PB não teme represálias da empresa e irá responder com tranqüilidade às informações solicitadas pela Delegacia de Serviços Concebidos




Da Ascom da CUT-PB

O vice-presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-PB), Arimatéia França, prestará depoimento na próxima sexta-feira (21), às 10h, sobre a depredação contra o posto de atendimento da Energisa, ocorrida durante um protesto contra o aumento do reajuste de energia elétrica.

De acordo com Arimatéia, a CUT-PB não teme represálias da empresa e irá responder com tranqüilidade às informações solicitadas pela Delegacia de Serviços Concebidos. O órgão existe apenas para apurar crimes e fraudes relativos à energia elétrica.

A manifestação aconteceu no dia 25 de setembro deste ano. Foi uma caminhada da Lagoa até a Assembléia Legislativa, para solicitar a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), cujo objetivo é investigar os motivos para o reajuste promovido em grande parte dos municípios da Paraíba.

O aumento da tarifa ficou em mais de 15%. A Energisa prestou queixa sobre a depredação promovida contra a sua agência de atendimento, localizada nas imediações da Lagoa. Na ocasião, a empresa fotografou uma porta de aço danificada e paredes pichadas.

"A manifestação foi ordeira e contou com a participação da população. Se a CUT tiver que responder processo em nome da população, para proteger o trabalhador, faremos isso com tranqüilidade e com a consciência limpa, já que não houve promoção de nenhum tipo de violência, nem de depredação", destacou Arimatéia França.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.