Vida Urbana

Creche é invadida pela 5ª vez

Com apenas um vigilante, creche foi arrombada no domingo (16) pela quinta vez; bandidos levaram mantimentos, um botijão de gás e uma televisão.



Magnus Menezes
Magnus Menezes
Ação constante dos criminosos está prejudicando o atendimento às 125 crianças que precisam da creche

A creche estadual José Jof- fily Caic, no bairro Malvinas em Campina Grande, já foi assaltada cinco vezes este ano e o último registro aconteceu na noite do domingo passado. Os bandidos entraram pelo telhado da escola e levaram da cozinha um botijão de gás e mantimentos. Além disso, arrombaram uma janela da secretaria e roubaram uma TV.

De acordo com informações da Polícia Militar (PM), o vigilante da creche acionou a polícia após chegar ao local e perceber que a janela da secretaria estava arrombada. A professora Joana Darc Modesto disse que 125 crianças são atendidas na creche e com a ação constante dos criminosos os alunos são as maiores vítimas. “Já foram cinco vezes somente em 2012. Os ladrões levam material que é de uso diário necessário para as crianças e que sem isso ficam prejudicadas,” contou. Joana ainda pediu reforço na segurança do prédio, que conta apenas com um vigilante por turno. “É preciso reforço no patrulhamento realizado pela polícia, uma cerca elétrica e um alarme ajudaria muito”, enfatizou a professora.

O prédio abriga duas instituições de ensino, o Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (Caic) e a creche que foi arrombada por volta das 21h do último domingo. Apenas o Caic já foi arrombado três vezes em menos de 60 dias de acordo com a diretora Joênia Macêdo. “Somente aqui no Caic os ladrões vieram três vezes este ano. Sempre agem durante a noite. Nosso espaço é muito grande para um só vigilante. Mesmo com o apoio da polícia não está sendo possível evitar a ação desses ladrões,” contou.

De acordo com sargento Brandão, que comanda a Patrulha Escolar em Campina Grande, todas as escolas da cidade são monitoradas e também por outras equipes da Polícia Militar.

Segundo ele, a área onde fica o Caic é uma região vulnerável e a falta de controle de acesso de pessoas ao prédio além dos problemas na estrutura facilitam a ação dos criminosos.

“Estamos patrulhando sempre, mesmo diante de todas as programações de final de ano nosso efetivo da patrulha escolar está completo. O que acontece no Caic é que não tem controle de acesso de pessoas e eles alugam a quadra de lá, o que facilita a ação dos criminosos, que conseguem estudar o movimento do local”, disse sargento Brandão. Ainda de acordo com o sargento, o patrulhamento em torno da escola será reforçado para evitar novas ações, inclusive durante o período de recesso dos alunos e funcionários.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.