Vida Urbana

Cotidiano de cansaço

Condições de trabalho menos adversas e agregar trabalhadores nas cooperativas são dificuldades dos garimpeiros.




O trabalho na extração de quartzito vem de décadas. Desde 1965 que Hipólito Araújo Dias convive diariamente com o trabalho nas minas e sabe o quanto é difícil vencer todas as dificuldades. Um dos desafios é agregar os trabalhadores nas cooperativas, além de encontrar condições menos adversas de trabalho.

“A medida que o tempo vai passando, as coisas melhoraram um pouco, mas as condições ainda não são as ideais. Com a criação dessas cooperativas, ainda não temos muitos cooperados. São em média cerca de 60 em cada uma, o que é pouco, mas também o suficiente para que o trabalho renda”, disse o garimpeiro, alertando para as deficiências e falta de estrutura de trabalho.

“A nossa sorte é que nessa região não chove muito, porque se não nós teríamos bem mais acidentes. A situação dos trabalhadores é preocupante, porque nós precisamos de muitos equipamentos e nem todos têm. Apesar do trabalho ser grande para que no final do mês renda uma produção de cerca de R$ 800”, acrescentou Hipólito Araújo, ao falar sobre a rotina de trabalho.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.