Vida Urbana

Corpo do cantor paraibano Genival Lacerda é enterrado em Campina Grande

Artistas promoveram uma homenagem na chegada do corpo ao Cemitério do Monte Santo.




Corpo do cantor paraibano Genival Lacerda é enterrado em Campina Grande. Foto: Reprodução/TV Paraíba

Foi sepultado nesta quinta-feira (7), no Cemitério do Monte Santo, em Campina Grande o corpo do cantor paraibano Genival Lacerda. Ele tinha 89 anos e morreu na manhã desta quinta, após complicações provocadas pela Covid-19. O artista estava internado na UTI de um hospital particular localizado em Recife-PE desde o dia 30 de novembro.

O corpo do paraibano chegou em um cortejo, na noite desta quinta. Foi recebido por artistas e fãs, que já aguardavam desde as primeiras horas da tarde em frente ao Cemitério do Monte Santo, na tentativa de dar o último adeus. Genival foi enterrado ao lado da mãe, Severina Lacerda e o local do sepultamento fica próximo a casa onde o artista morou, na Rainha da Borborema.

No momento da chegada do corpo de Genival Lacerda, um corredor foi montado por artistas, que promoveram diversas homenagens. Estiveram presentes nomes como Biliu de Campina, Gitana Pimentel e Roninho do Acordeon. Os fãs ficaram do lado de fora do cemitério, onde foi permitida a entrada apenas de familiares e profissionais de imprensa.

Artistas promoveram homenagens a Genival Lacerda, no momento da chegada do corpo. Foto: Reprodução/TV Paraíba

O artista estava internado na UTI do hospital de Recife desde o dia 30 de novembro, quando chegou com sintomas da Covid-19. Ele foi intubado após apresentar um quadro de pneumonia. A situação do artista era delicada porque ele é do grupo de risco. Além de idoso, em maio de 2020, ele sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e ficou três dias internado.

O Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) divulgou uma lista com as 20 músicas do paraibano mais tocadas nos últimos cinco anos. O primeiro lugar ficou com “Severina xique-xique”, o principal clássico de Genival, que passou a morar no Recife em 1953.

 

O ‘senador do rojão’

 

Genival Lacerda nasceu em Campina Grande, no dia 05 de abril de 1931. Começou a carreira artística com pouco mais de 20 anos, em 1953, atuando em programas de calouros na antiga Rádio Borborema. Ainda na década de 50 foi morar em Pernambuco. Em 1955, gravou seu primeiro disco, fazendo sucesso com a música ‘Coco de 56’.

Seu Vavá, como era chamado por muitos, teve uma relação muito próxima com Jackson do Pandeiro. Tanto que Severina, irmã de Jackson, foi casada com dois irmãos de Genival Lacerda. Em 1964, Influenciado pelo Rei do Ritmo, Genival se mudou para o Rio de Janeiro, onde trabalhou em casas de forró.

O forró marcou época neste período, com nomes como Dominguinhos, Jackson do Pandeiro, Marinês, Zé Calixto e Luiz Gonzaga.

O sucesso para Genival Lacerda só chegou em 1975, quando ele lançou um dos maiores sucessos da sua carreira: ‘Severina Xique-Xique’, música que tem o famoso trecho “ele tá de olho é na butique dela”, que acabou se tornando o mais popular do compositor. Graças à essa composição, feita em parceria com João Gonçalves, Genival vendeu aproximadamente 800 mil cópias.

Em 1987, o cantor e compositor paraibano gravou um disco com grandes sucessos, sob arranjos e regência de artistas consagrados como Sivuca e Dominguinhos. Em 1999, Genival participou do disco ‘Marinês e Sua Gente’.

Ao longo da sua carreira, Genival Lacerda gravou 70 discos. Na madrugada da última terça, dia 26 de novembro, o artista estava em sua casa, no bairro de Boa Viagem, em Recife, quando passou mal. Em maio do ano passado, ele sofreu um acidente vascular cerebral e estava internado no Hospital De Ávila, na zona norte da Capital Pernambucana. Genival Lacerda tinha 89 anos e morava há mais de duas décadas em Recife.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.