Vida Urbana

Cinco devem ser indiciados por morte de animais em Igaracy, diz delegado

Inquérito deve ser concluído na próxima semana.




Animais foram sacrificados no dia 6 de março, gerando protestos

Animais foram sacrificados no dia 6 de março, gerando protestos

O ex-secretário de Saúde de Igaracy, José Carlos Maia, e outras quatro pessoas que participaram do sacrifício de pelo menos 31 cães no dia 6 de março devem ser indiciadas pelos crimes de maus-tratos e descarte irregular de animais no inquérito de investigação aberto pela Polícia Civil. Segundo o delegado, Glêberson Fernandes, informou nesta terça-feira (27), outras pessoas também podem ser incluídas no inquérito. O posicionamento tem como base o laudo do Instituto de Polícia Científica (IPC) divulgado na segunda-feira (26), que apontou que as mortes ocorreram de forma violenta, por meio de lesões traumáticas.

>>>Pelo menos 31 cães são sacrificados e prefeitura diz que eles tinham sinais de leishmania
>> Ativistas protocolam pedido para Câmara investigar morte de animais

“Já tínhamos ouvido o secretário, ele deu uma versão totalmente diversa do que apresentou o laudo e ele foi indiciado pelos crimes de maus-tratos e descarte irregular dos animais; a partir de agora vamos ouvir outras pessoas, o vereador que fez a convocação do secretário pedindo solução para o problema e vamos ouvir também o prefeito para avaliar a responsabilidade de cada um deles. Já foram também ouvidas também as pessoas que cometeram o sacrifício dos cachorros, os funcionários que estavam participando na hora da coleta e esses também estão sendo indiciados no caso”, ressaltou.

O inquérito da investigação deve ser concluído na próxima semana, conforme revelou o delegado. “Nós temos diretamente cinco pessoas envolvidas, que neste caso são executores; o secretário e quatro funcionários que participaram da ação e daqui para o final da próxima semana nós estaremos com o inquérito totalmente concluído”, disse Glêberson Fernandes.

Sobre o resultado do laudo, o delegado ressaltou que à perícia foi conclusiva.“O laudo veio confirmar aquilo que estávamos suspeitando da utilização de meios cruéis para o sacrifício dos cachorros”, concluiu.

O JORNAL da PARAÍBA  fez contato com a Assessoria de Imprensa da prefeitura de Igaracy, que informou que a gestão só vai se pronunciar sobre o caso após a conclusão do inquérito. Também foram realizadas ligações para o ex-secretário de Saúde, José Carlos Maia, mas até às 10h30 desta terça-feira nenhuma das chamadas foi atendida ou retornada.

Laudo

O resultado das análises da perícia foram entregues na segunda-feira à Polícia Civil para serem anexados ao inquérito. “O laudo mostra a abundância das manchas de sangue que havia no local, comprovando a existência de traumas nesses animais, indo de encontro ao que se espera do cumprimento dos protocolos regulamentares de eutanásia em animal”, explicou a perita Michelle Nóbrega, responsável pelo laudo.

O caso da matança de animais no município de Igaracy aconteceu no dia 6 de março e ganhou repercussão nacional através da imprensa. O então secretário de Saúde da cidade na época, José Carlos Maia, acabou exonerado pelo prefeito depois da divulgação das informações. O processo também está sendo acompanhado pelo Ministério Público Estadual da Paraíba.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.