Vida Urbana

Cidades paraibanas montam barreiras para avaliar estado de saúde de ambulantes que vêm do Sul e Sudeste

Prefeito de Patos afirma que, até sábado, 400 vendedores ambulantes devem passar pela cidade.




Em Patos, barreira em um dos acessos à cidade começou na segunda-feira (23). Foto: 3º Batalhão da Polícia Militar

Prefeituras do Sertão paraibano têm adotado nos últimos dias, medidas como a instalação de barreira sanitárias, na tentativa de monitorar o fluxo de pessoas que entram nas cidades e evitar a proliferação do novo coronavírus. Em Patos e São Bento, por exemplo, a preocupação dos prefeitos é pela quantidade de vendedores ambulantes, espalhados por várias regiões do Brasil, que estão voltando para suas casas, devido ao processo de isolamento social e, consequentemente, a baixa nas vendas dos produtos que comercializam.

Na noite desta segunda-feira (23), a Prefeitura de Patos montou uma ‘barreira epidemiológica’ e identificou pessoas que moram em cidades do Sertão, mas que estavam trabalhando como vendedores ambulantes em estados como Bahia, Pernambuco, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul. Os bloqueios abordam pessoas que tentam entrar na cidade pelas rodovias PB-262, que liga Patos à divisa com Pernambuco, e BR-361, que dá acesso ao Vale do Piancó.

Barreia na cidade de São Bento. Foto: Divulgação

Os municípios de Brejo do Cruz e São Bento, que são famosos pela fabricação e exportação de redes, também montaram barreiras por estarem recebendo vendedores que estão retornando às suas cidades.

“A previsão é que, até o fim de semana, entrem em Patos aproximadamente 400 pessoas, que estão vindo das regiões Sul e Sudeste. Estamos mantendo contato com algumas pessoas pelas redes sociais, que estão informando o seu itinerário de viagem. Um vendedor entrou em contato conosco e com ele, são cerca de 100 pessoas, que devem passar por Patos até o sábado”, disse Ivanes Lacerda, prefeito de Patos.

Em grupos de redes sociais com pessoas do Sertão, já estavam sendo compartilhados áudios e vídeos de supostos vendedores ambulantes, que estariam voltando das regiões Sul e Sudeste para o interior da Paraíba. Inclusive, em alguns destes materiais, havia relatos de supostas agressões que os paraibanos estavam sofrendo, pois as pessoas achavam que elas estavam contaminadas pelo novo coronavírus.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.