Vida Urbana

CDRM apóia criação de cooperativas de mineradores na Paraíba

Paraíba tem cerca de 8.000 mineradores. No Seridó há 17 municípios que possuem recursos minerais como feldspato, caulim, mica, tantalita e cassiterita.




Da Secom-PB

A Companhia de Desenvolvimento de Recursos Minerais da Paraíba (CDRM) receberá do Ministério da Integração Nacional recursos da ordem de R$ 875 mil, para aquisição de equipamentos que serão destinados às cooperativas de mineradores. Assim, o trabalho de extração dos minérios será feito de modo mais adequado, permitindo agregar valor aos recursos naturais, aumentando a renda média dos garimpeiros.

A informação é do diretor Iramir Barreto Paes. O órgão estadual compõe o grupo formado pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico (STDE) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas na Paraíba (Sebrae-PB), que executa o Projeto de Formalização e Desenvolvimento da Pequena Mineração do Seridó Paraibano.

Segundo ele, existem cooperativas nos municípios de Pedra Lavrada, Junco, Várzea e Nova Palmeira e está sendo estimulada a criação de novas entidades em Picuí e Frei Martinho. “Individualmente nem o governo estadual nem o federal podem ajudar os mineradores. Por isso é importante organizá-los e demonstrar que a cooperativa é viável, que eles devem ser organizar de acordo com o Estatuto do Garimpeiro, para que tenham uma vida digna, possam aumentar a renda, tenham direito a aposentadoria”, explica Iramir Paes.

A Paraíba tem cerca de 8.000 mineradores. No Seridó há 17 municípios que possuem recursos minerais como feldspato, caulim, mica, tantalita e cassiterita. Mas, boa parte da produção é desviada por estradas vicinais, sendo levada para o Rio Grande do Norte.

A CDRM tem uma equipe com engenheiros de minas e geólogos em condições de prestar assistência técnica aos mineradores, de modo que além de legalização do garimpo e das questões social e ambiental, o órgão considera importante melhorar as condições de retirada do mineral e com isso agregar valor ao produto, elevando a renda do pequeno produtor. O órgão cuida tanto do desenvolvimento e aproveitamento dos recursos minerais, quanto da perfuração de poços artesianos.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.