Vida Urbana

Campanha de vacinação contra gripe vai ser prorrogada, diz ministro da Saúde

Mobilização estava prevista para acabar no dia 31 de maio.




Ministro disse que não tem porque não prorrogar a campanha (Foto: Divulgação)

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse na segunda-feira (27) que a campanha de vacinação contra a gripe, inicialmente prevista para se encerrar no dia 31 de maio, será prorrogada. O ministro não informou por quanto tempo a campanha permanecerá ativa.

“Sempre prorroga [a campanha]. A gente prorroga porque não tem porque não prorrogar. A gente coloca uma meta no tempo para ver se as pessoas se conscientizam, se as secretarias [estaduais de Saúde] se conscientizam. Eu vou premiar as que fizeram o dever de casa. Essas sim. E vamos ajudar, vamos ver o que que se pode ajudar naquelas que não conseguiram”, disse

A meta do Ministério da Saúde é vacinar 90% do público-alvo, composto por 59,4 milhões de pessoas, até o dia 31. No entanto, até esta segunda-feira, 42,5 milhões de pessoas haviam sido vacinadas. O número corresponde a 71,6% do público-alvo.

“Estados que tradicionalmente vacinam bem, a frente fria demorou muito para entrar. Rio Grande do Sul e Santa Catarina, que sempre foi um estado de excelentes campanhas, esse ano atrasou”, disse Mandetta.

Segundo ministro, a maioria dos estados deverá atingir com a vacinação, até o final da semana, 85% do público-alvo. A Paraíba atingiu 80% da meta na segunda-feira, com a vacinação de 948.812 pessoas. De acordo com a Secretaria de Saúde, o estado tem terceira melhor cobertura do Nordeste.Ao todo, 47 municípios paraibanos atingiram a meta.

Os grupos prioritários a serem vacinados são: indivíduos com 60 anos ou mais de idade, crianças na faixa etária de seis meses e menores de seis anos de idade (cinco anos, 11 meses e 29 dias), as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), os trabalhadores de saúde, os povos indígenas, os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, professores de escolas públicas e privadas e policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das forças armadas. De acordo com o Ministério da Saúde, esses grupos são mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias. A vacina contra a gripe reduz as complicações e casos graves trazidos pela doença.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.