Vida Urbana

Brasil tem primeiro caso confirmado de coronavírus e novos casos são investigados

O homem, de 61 anos, esteve em viagem ao norte da Itália e voltou com sintomas.




O Ministério da Saúde confirmou, em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (26), que o primeiro caso positivo de coronavírus no Brasil. O homem, de 61 anos, residente na capital paulista, foi infectado durante viagem à Itália, na Lombardia (norte do país), à trabalho, sozinho, no período de 09 a 21 de fevereiro.

De acordo com o ministro Luiz Henrique Mandetta, o paciente chegou assintomático e, depois de alguns dias, procurou um serviço de saúde com sintomas respiratórios.

A notificação deste caso suspeito de doença pelo Coronavírus 2019 (COVID-19) foi registrado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, no último dia 25 de fevereiro. Segundo informação do Ministério da Saúde, ele iniciou com sinais e sintomas (Febre, tosse seca, dor de garganta e coriza) compatíveis com a suspeita de Doença pelo Coronavírus 2019 (COVID-19).

Em Recife, uma mulher com suspeita do Covid-19, desembarcou, nesta terça-feira (25), no Aeroporto Internacional dos Guararapes, na Zona Sul do Recife, segundo a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco. A paciente tem 51 anos de idade e esteve na Itália no dia 13 de fevereiro para fazer um curso e, além da Itália, passou pela Espanha, país que também confirmou um caso nesta terça-feira.

Até a tarde de segunda-feira (24), o Ministério da Saúde monitorava três casos em São Paulo e um no Rio de Janeiro. Desde o início do monitoramento, 55 suspeitas de Covid-19 foram descartadas em todo o país. Os estados que lideram os descartes são Paulo, com 26 pacientes analisados; Rio Grande do Sul, com dez pacientes, e Rio de Janeiro, com oito.

A Secretaria de Saúde da Paraíba reforçou na manhã desta quarta-feira (26) que o estado não permanece sem nenhum caso suspeito até o momento.

 

Em São Paulo

 

Segundo o Ministério da Saúde, no atendimento, o hospital adotou todas as medidas preventivas para transmissão por gotículas, coletou amostras e realizou testes para vírus respiratórios comuns e o exame específico para SARS-CoV2 (RT-PCR, pelo protocolo Charité), conforme preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). “O paciente está bem, com sinais brandos e recebeu as orientações de precaução padrão”, diz ainda a nota divulgada pelo ministério.

Com resultados preliminares realizados pela unidade de saúde e de acordo com o Plano de Contingência Nacional, o hospital enviou a amostra para o laboratório de referência nacional, Instituto Adolfo Lutz, para contraprova.

Este processo de validação dos resultados está em curso e o Ministério da Saúde divulgará o laudo final da investigação. As Secretarias de Saúde estadual e municipal de São Paulo estão  realizando a identificação dos contatos no domicílio, hospital e voo, com apoio da Anvisa junto à companhia aérea.  Todas as ações e medidas seguidas estão de acordo com os protocolos do Ministério da Saúde e da OMS e diariamente atualizações são informadas em coletivas e boletins epidemiológicos.

 

Anvisa

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deu início aos procedimentos padrão, solicitando à companhia aérea a lista de passageiros para identificar as pessoas que estiveram no mesmo voo procedente da Itália, país na lista de casos confirmados da doença.

“O documento será encaminhado ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) para investigação de outros passageiros do voo que tiveram contato com o caso suspeito”, diz a nota da Anvisa.

A Agência reforça o alerta para as pessoas que estiveram recentemente em países com casos confirmados e apresentar febre, tosse, dificuldade em respirar ou outros sintomas respiratórios, procure atendimento médico de imediato e informe ao profissional de saúde a viagem feita para o exterior.

 

Novos alvos

 

Na segunda-feira (24), o Ministério da Saúde informou que ampliou os critérios para definição de caso suspeito para o Covid-19. Agora, também estão enquadradas com suspeitas pessoas que apresentarem febre e mais um sintoma gripal, como tosse ou falta de ar, e vierem dos seguintes países: Alemanha, Austrália, Emirados Árabes, Filipinas, França, Irã, Itália, Malásia, Japão, Singapura, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Tailândia, Vietnã e Camboja, além da China.

“A decisão da pasta de aumentar o nível de segurança e sensibilidade da vigilância surgiu da preocupação que esses países têm gerado em decorrência da grande quantidade de casos do novo coronavírus nos últimos dias. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), esses países têm pelo menos cinco casos com transmissão interna da doença”.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.