Vida Urbana

Barracas obedecem normas legais

Panfletos educativos são distribuídos para clientes que compram fogos em barracas que estão de acordo com as normas.




Já as barracas instaladas no Cristo Redentor comercializam os produtos dentro da normas legais, como garante o presidente da associação dos revendedores, Vamberto França. “Na hora que um cliente chega, a primeira coisa que perguntamos é a idade da criança. A partir disso é que recomendamos os produtos que poderão ser usados nessa faixa etária”, explica França.

Acompanhado pelos dois filhos e esposa, o auxiliar de serviços gerais Fernando Pereira Silva foi ontem comprar os fogos de artifícios das crianças, que possuem seis e dois anos de idade.

Mesmo diante do colorido das embalagens, Fernando só adquiriu duas caixas de “track”, um tipo de fogo de artifício considerado de menor impacto. “Com isso eu não brinco. Eu sei que esse tipo de brincadeira pode causar queimaduras”, disse Fernando.

Junto com a mercadoria, os clientes estão recebendo panfletos com instruções para evitar acidentes, elaborados pelo Corpo de Bombeiros. O material contém dicas e telefones de hospitais e serviços médicos, que poderão ser procurados em caso de queimaduras.

A vendedora Larissa Araújo aprovou a iniciativa. “Eu tenho duas filhas pequenas e só compro ‘track’ e ‘chuveirinhos’ para elas. Não deixo que nenhuma brinque com coisas mais perigosas, porque não quero que nada estrague nossa festa”, disse.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.