Vida Urbana

Bancos de Leite Materno da Paraíba reforçam necessidade de doação na pandemia

Até o momento, não há indicação científica de transmissão do coronavírus pelo leite materno.




O isolamento social necessário para combater a pandemia do novo coronavírus também tem dificultado as doações de leite materno nos bancos de João Pessoa e Campina Grande. Na capital, o estoque de leite já está na zona vermelha, ou seja, abaixo do necessário para alimentar os bebês.

Conforme Daniele Maciel, que coordena do Banco de Leite Zilda Arns, de João Pessoa, a queda de 30 a 40% no número de doações de leite, observada no período de férias e festas de fim de ano, se prolongaram por conta da pandemia. 

“Começaria a melhorar no fim de fevereiro, mas as doações não estão acontecendo como esperávamos. As doadoras que já doavam ficaram receosas e com medo do contato físico com a profissional de saúde”, comentou.

A rota domiciliar continua sendo realizada de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h. Para dar continuidade a esse procedimento, uma técnica de enfermagem está indo às casas, levando além do material para coleta, equipamentos de proteção individual, como touca e máscara, para as doadoras. A higienização também é feita no vidro onde o leite é armazenado. 

Já em Campina Grande, de acordo com a coordenação do Banco de Leite Dr. Virgílio Brasileiro, do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), as doações diminuíram e o serviço precisou ser ampliado com a coleta domiciliar, para garantir o abastecimento do banco de leite.

Desde quando foram adotadas medidas restritivas para evitar a disseminação do coronavírus nos hospitais de Campina Grande, as doações caíram ao ponto de chegarem a, apenas, 5 litros de leite por dia, quantidade insuficiente para a demanda que existe na unidade e nos demais hospitais que recebem doações do BLH.

Além do Isea, as maternidades da Clips, Clínica Santa Clara, Fundação Assistencial da Paraíba (FAP) e do Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC) também recebem leite do Banco de Leite Dr. Virgílio Brasileiro, utilizado para alimentar bebês recém-nascidos cujas mães não conseguem produzir a quantidade suficiente. 

Mulheres que estão no pós-parto e que possuem leite em excesso podem doar para o banco de leite do Isea, em Campina Grande, ligando para o número (83) 3310-6185. As mães passam por entrevista, recebem um kit com orientações sobre amamentação e como realizar a coleta, que é feita semanalmente pelas equipes do Banco de Leite Humano (BLH).

Em João Pessoa, a mulher que quiser doar leite precisa ligar para o telefone (83) 3214-1390 e fazer cadastro e agendamento. Elas não podem apresentar nenhum sintoma de gripe, doença infectocontagiosa, como aids, sífilis e hepatites,e não podem estar tomando medicamentos contínuos.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.