Vida Urbana

Atendimento no Napoleão Laureano, em João Pessoa, pode ser suspenso por falta de EPIs

Direção relatou a dificuldade na compra de EPIs para funcionários por conta da alta demanda da pandemia de Covid-19.




Foto: Francisco França

Os atendimentos oncológicos realizados no Hospital Filantrópico Napoleão Laureano, em João Pessoa, poderão ser suspensos devido ao baixo estoque de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), consequência da pandemia do novo coronavírus. A informação foi dada nesta segunda-feira (13) pela direção da unidade.

Conforme o diretor clínico do Napoleão Laureano, Joni Oliveira, o estoque atual da unidade é de apenas 150 máscaras cirúrgicas para uma média de 800 funcionários. A preocupação aumento se for considerado o fato de que o Laureano é a principal referência no tratamento de pacientes com câncer na Paraíba, e estes fazem parte do grupo de risco para Covid-19.

“O hospital tomou certas medidas no sentido de proteção não só dos pacientes, mas também do corpo clínico e do pessoal que é funcionário do hospital. Existem alguns setores básicos como a urgência, o ambulatório, bloco cirúrgico, as UTIs, a pediatria, são muitos locais que exigem que tenha equipamentos de proteção maiores até do que uma simples máscara”, explicou Joni Oliveira.

A ausência de EPIs para compra é justificada pelo aumento na demanda de atendimentos de pacientes infectados pelo novo coronavírus. Sendo assim, hospitais que realizam que atendem pacientes acometidos por outras doenças têm encontrado dificuldades para conseguir abastecer as unidades com os equipamentos necessários. Para se ter uma ideia, o prazo entre a solicitação e o recebimento dos EPIs pode chegar a 15 dias.

Segundo o secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) tomou conhecimento do problema e está avaliando o estoque do Estado para ceder EPIs ao Laureno. “Nós recebemos no domingo (12) uma mensagem do diretor, estamos avaliando nosso estoque de EPIs para poder tentar ajudar o hospital no sentido de que os profissionais de saúde sejam equipados adequadamente”, garantiu o secretário.

Também por conta da pandemia do novo coronavírus, o Napoleão Laureano reservou uma área para atendimento específico de pacientes que apresentarem problemas respiratórios. “Foi separada uma ala especial, para fazer isso teve que deslocar 10 leitos, o setor onde funcionava a urgência foi todo disponibilizado para atender pacientes que apresentem sintoma de problemas respiratórios”, comentou Joni Oliveira.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.