Vida Urbana

Após paralisação de anestesistas da FAP, 30 pacientes com câncer terão cirurgias remarcadas

Paralisação em protesto contra o atraso do repasse de verbas do Município durou sete dias e terminou nesta quarta (8).




Pelo menos 30 pacientes de câncer da Fundação Assistencial da Paraíba (FAP) terão que remarcar suas cirurgias para tratamento da doença, após uma paralisação dos médicos anestesistas da unidade. De acordo com a FAP, a paralisação dos anestesistas durou sete dias mas foi suspensa nesta quarta-feira (8).

Os profissionais anestesistas decidiram suspender as atividades em protesto ao atraso no repasse de verbas da Secretaria de Saúde de Campina Grande. Por conta da greve, alguns procedimentos cirúrgicos precisaram ser adiados, já que a presença de anestesistas em procedimentos cirúrgicos é essencial.

O Hospital da FAP informou que todas as cirurgias canceladas serão remarcadas de acordo com a agenda de cada médico responsável. Os pacientes que não estão internados serão informados de maneira individual quanto às novas datas das cirurgias, e os pacientes que estão internados serão submetidos aos procedimentos de maneira contínua.

A Fundação Assistencial da Paraíba (FAP) é referência para o tratamento de câncer em Campina Grande e em vários municípios da Paraíba. Além dela, o Hospital Napoleão Laureano, em João Pessoa, também recebe pacientes de diversos municípios paraibanos.

Outras informações podem ser obtidas através do telefone da FAP, o (83) 2102-0300.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.