Vida Urbana

Agentes comunitários de CG devem ter piso salarial até o final do ano

O valor estabelecido e sancionado pelo Congresso Nacional é de R$ 1.014,00.




O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, esteve reunido na manhã desta segunda-feira (22), com dezenas de agentes de combate às endemias e agentes comunitários de saúde para discutir o piso salarial sancionado pelo Congresso Nacional em junho passado. O chefe do executivo disse que o reajuste deve ser pago à categoria na cidade até o final do ano.

Romero frisou entretanto, que faltam alguns pontos a serem regulamentados para a aplicação do piso, estabelecido em R$ 1.014,00, na prática. “Eu fiquei feliz com essa decisão do Congresso de aprovar o piso porque fiz parte dessa luta, inclusive da comissão que instituiu essa proposta do piso salarial nacional, mas falta na realidade algum decreto regulamentando alguns itens que foram vetados. O próprio Ministério da Saúde ainda não sabe como se comportar em torno desta questão de alocação de recursos que não estavam previstos para este ano”, disse.

Mesmo assim, o prefeito garantiu que deve instituir o novo valor na cidade até o final do ano. “O nosso compromisso é pagar o piso até o fim do ano, porém, é preciso esperar essa regulamentação que deve sair em questão de dias, deixar passar o período eleitoral porque fica vedado encaminhar qualquer proposta de reajuste nesse período e depois iremos mandar um projeto para o Poder Legislativo municipal para criar uma carreira específica para os agentes comunitários. Nesse sentido, esse valor passa ser a base do salário, para que os agentes tenham um ganho real salarial na carreira em cima deste valor”, reforçou.

Conforme Romero, atualmente a Prefeitura paga pouco mais de R$ 1.200 aos agentes comunitários, incluindo salário e taxa de insalubridade aos 590 agentes de saúde e 273 agentes de combate às endemias de Campina.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.