Vida Urbana

Adiada audiência com acusada de matar irmão em João Pessoa

Na ocasião, serão ouvidos, ainda, os outros envolvidos no assassinato.



André Resende/G1
André Resende/G1
Audiência de instrução e julgamento dos envolvidos no assassinato será nesta sexta (29)

Foi adiada a audiência de instrução e julgamento dos envolvidos no assassinato do estudante de veterinária Marcos Antônio Nascimento Filho. O crime ocorreu em uma padaria de João Pessoa, em junho de 2016. A nova audiência será na sexta-feira (29), às 8h, no 2º Tribunal do Júri do Fórum Criminal da capital. A irmã de Marcos, Maria Celeste de Medeiros, é acusada de planejar o crime.

O motivo do adiamento foi a renúncia do advogado dos acusados Severino Fernandes Ferreira, Nielson da Silva e Ricardo de Souza Pereira. Diante desse fato, a juíza titular da Vara, Francilucy Rejane de Sousa Mota Brandão, que presidia a audiência, designou o defensor público Rodrigo Mendonça, que solicitou o adiamento por desconhecer as provas trazidas aos autos.

O universitário Marcos Antônio foi assassinado com dois tiros na cabeça durante um assalto a uma padaria no Jardim Luna, no dia 4 de junho de 2016. A irmã foi a mandante do crime, visando a herança da família, avaliada em R$ 1 milhão.

>>> Suspeito diz que não sabia que mandante era irmã da vítima

>>> Morre no Trauma estudante baleado durante assalto a padaria

Segundo o delegado Aldrovilli Grisi, depois da morte do pai dos irmãos, quem passou a gerir o patrimônio da família, que mora em Bayeux, foi a irmã, uma vez que a vítima estudava e morava em Areia, no Agreste do estado. Durante a ausência do irmão, ela conseguiu vender um imóvel e um carro pertencente à família e ainda segundo Aldrovilli Grisi, teria falsificado a assinatura do irmão para poder vender um imóvel que estava no nome dele.

Outros seis suspeitos também foram presos por envolvimento no homicídio.

Encomenda do crime e envolvidos

Conforme Aldrovilli Grisi, a morte do estudante foi encomendada pelo valor de R$ 13 mil, que a suspeita pretendia pagar após a execução. O delegado explica que ela não tinha o dinheiro no momento do contrato. “Ela pretendia pagar os executores do irmão com o dinheiro dos bens do próprio irmão”, explica.

Além de Maria Celeste, foram presos Ricardo de Sousa, de 31 anos, autor do disparo; Nielson da Silva, de 38 anos, comparsa do atirador; Severino Fernando, de 37 anos, que serviu de ponte entre a irmã e os criminosos; Wérlida Raynara, de 21 anos, que seria namorada de Celeste; e João Cardoso, de 54 anos, que está preso preventivamente, pois seria comprador de imóveis da família.

Relembre o crime

A vítima, irmão da proprietária do estabelecimento, foi socorrida em estado grave. Segundo informações da Polícia Militar, dois homens armados entraram na padaria, renderam os funcionários e clientes, roubaram o dinheiro do caixa e a motocicleta da vítima que foi baleada e fugiram. 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.