Vida Urbana

35% dos casos de dengue em CG se concentram em quatro bairros

Os bairros do Catolé, Prata, Tambor e Bodocongó são os que possuem o maior número de casos confirmados de dengue. Ao todo são 61 casos.




Da Redação

De acordo com o Informe Epidemiológico divulgada nesta quarta-feira, (15), pela Gerência de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde. Os bairros do Catolé, Prata, Tambor e Bodocongó são os que possuem o maior número de casos confirmados de dengue.

Nos quatro bairros, o total de casos da doença confirmados chega a 61, que representa quase 35% do total de 184, sendo 33 no Catolé, 10 no Tambor, nove na Prata e nove em Bodocongó. O Informe Epidemiológico traz os números da doença no período de 1º de janeiro a 15 de setembro deste ano, com base nos dados retirados do Sistema de Informação Nacional de Notificação de Agravos (Sinan).

O grande número de casos de dengue nestes bairros deve ser causado pelo alto índice de infestação do mosquito transmissor da doença, mas esta informação somente será confirmada após a divulgação do 6º LIRA (Levantamento de Índice Rápido de Infestação Predial), que está sendo concluído ainda nesta semana, segundo informou o gerente de Vigilância Ambiental em Saúde, Gilmar Vidal. Ainda de acordo com o Informe Epidemiológico, foram notificados 353 casos suspeitos, sendo que 29 foram descartados e 141 ainda guardam resultado. Do total de casos confirmados, 156 foram de dengue clássica, 24 de dengue com complicações e quatro de dengue hemorrágica.

Ainda em relação aos bairros, as Malvinas tiveram apenas cinco confirmados, no entanto, 34 suspeitos, o que chama a atenção da Vigilância Epidemiológica. Os dados foram encaminhados para a Vigilância Ambiental para que ela, a exemplo do que já vem realizando, dê continuidade às ações de combate ao mosquito transmissor da dengue em bairros com maior número de casos. Os meses de junho e julho, os mais chuvosos do ano, foram os que mais apresentaram notificação de casos suspeitos, de acordo com o levantamento da Secretaria Municipal de Saúde.

Todos os casos suspeitos são investigados minuciosamente até que se possa chegar a um diagnóstico o mais preciso e confiável possível, informou a gerente municipal de Vigilância Epidemiológica, Elília Maria Pombo. Com a divulgação do Informe Epidemiológico, a Secretaria Municipal de Saúde pretende levar para a população números oficiais sobre a dengue no município. O Informe Epidemiológico está sendo divulgado mensalmente, a cada dia 15.

Os sintomas da dengue são febre com duração máxima de sete dias, acompanhada de pelo menos dois dos seguintes sinais ou sintomas: dor de cabeça, dor ao redor dos olhos, dor muscular, dor nas articulações, abatimento ou erupção na pele. É bom lembrar que a dengue, quando não tratada ou diagnosticada da forma correta, pode evoluir do tipo clássica para a forma mais grave, e causar a morte.

Portanto, é importante que diante de qualquer suspeita da doença, a pessoa procure uma unidade de saúde o mais rápido possível e jamais tome remédio sem orientação médica.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.