Sem categoria

“Estômago” é o mais premiado do Cineport com quatro troféus

Filme brasileiro levou quatro troféus Andorinha no Cineport. Já "Terra Erma", de Helton Paulino, ganhou prêmio de estímulo entre os 32 paraibanos concorrentes.




Karoline Zilah
com Horácio Roque, especial para o Paraíba1

Bastante comentado pelos jornalistas de cultura e críticos de cinema quando a programação do Cineport foi anunciada, o filme brasileiro "Estômago", de Marco Jorge, foi o grande vencedor da IV edição do festival, que teve inicio do dia 1º de maio e acontece até este domingo, em João Pessoa, com sessões especiais para os premiados.

Confira abaixo a lista dos vencedores.

O filme levou quatro categorias: Melhor Diretor, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Produtor e Melhor Filme de Ficção no prêmio Andorinha. O seu maior concorrente, o português "Good Night , Irene", ficou de mãos vazias. Outro que se deu bem foi o português "Mal Nascida", de João Canija, com os prêmios de Atriz Coajuvante e Trilha Sonora.

Entre os documentários, um dos apontados como favoritos, "O Mistério do Samba" levou dois troféus. O filme fala sobre a velha guarda da Portela. O conceituado "Linha de Passe", de Walter Sales, levou troféu na categoria de Melhor Fotografia.

Entre os 32 filmes paraibanos que concorreram ao Prêmio Energisa Estimulo ao Audiovisual Paraibano, quem ganhou foi o "Terra Erma", de Helton Paulino, que foi o vencedor também do Prêmio Aruanda e do Comunicurtas 2008, festival de Campina Grande. O filme é uma ficção que retrata a história de um homem cujo cotidiano consiste em assistir a embarques e desembarques, encontros e desencontros em uma rodoviária.

Repercussão

Em meio à repercusão após os anúncios dos premiados, atores, diretores e produtores se encontraram em um coquetel comemorativo. Babu Santana, vencedor da categoria de Melhor Ator Coadjuvante do prêmio Andorinha, disse que qualquer tipo de incentivo à arte é bem-vindo. "Esse festival, além de valorizar a produção cinematográfica de países de língua portuguesa, serve também para mobiilizar a população em população em prol do cinema e até incentivar a quem não tem um acesso frequente à sétima arte", comentou.

Mônica Botelho, diretora da fundação que coordena o Cineport, considerou que o mais importante não é a competitividade entre os participantes, mas sim o congressamento de várias culturas diferentes e cineastas. "Sinto-me muito feliz em ver os olhos brilhantes do público presente e dos indicados. João Pessoa nos acolheu muito bem".

 Finalizando as considerações, Vladimir Carvalho, referência da cinematografia paraibana pelo filme "Cabra Marcado pra Morrer", após acompanhar intensivamente as mostras dos filmes locais, comentou que a produção cinematográfica desta edição do Cineport evoluiu consideravelmente, dando um salto de qualidade com relação à edição passada. Para ele, os temas dos filmes ganharam mais complexidade. "Eu percebo que estou assistindo à evolução do cinema na Paraíba", disse Vladimir ao Paraíba1.

Abaixo, confira a lista completa de indicados. Os vencedores estão destacados em negrito.

 MELHOR FILME FICÇÃO

Estômago, de Marco Jorge (Brasil)
– Good Night Irene, de Paolo Marinou Blanco (Portugal)

 MELHOR DIRETOR FICÇÃO

Estômago, de Marco Jorge (Brasil)
– Good Night Irene, de Paolo Marinou Blanco (Portugal)

MELHOR FOTOGRAFIA FICÇÃO

Linha de Passe, de Walter Sales – Indicado: Mauro Pinheiro (Brasil)
– A Outra Margem, de Luís Felipe Rocha – Indicado: Edgard Moura (Portugal)

MELHOR PRODUTOR

– Good Night Irene, de Paolo Marinou Blanco (Portugal) – Indicados: Maria João Mayer e François DÁrtemare

Estômago, de Marco Jorge Indicados: Claudia da Natividade, Fabrizio Donvito e Marco Cohen

MELHOR MONTAGEM FICÇÃO

– Meu Nome não é Johnny, de Mauro Lima – Indicados: Marcelo Moraes (Brasil)
– Mal Nascida, de João Canijo – Indicado: João Braz (Portugal)

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

A Encarnação do Demônio, de José Mojica Marins – Indicado: Cássio Amarante (Brasil)
– Call Girl, de Antônio Pedro Vasconcelos – Indicado: João Torres (Portugal)

MELHOR TRILHA SONORA

– Os Desafinados, de Valter Lima Júnior – Indicado: Wagner Tiso (Brasil)
– Meu Nome Não é Johnny, de Mauro Lima – indicados: Fábio Mondego, Fael Mondego, Marco Tommaso e mauro Lima (Brasil)
Mal Nascida, de João Canijo – Indicado: Olivier Blanc, Ricardo Leal e Gèrard Rosseau (Portugal)

MELHOR FIGURINO

– A Outra Margem, de Luís Felipe Rocha – Indicado: Isabel Branco (Portugal)
Chega de Saudade, de Laís Bodansky – Indicado: André Cimonetti

MELHOR ROTEIRO

– Meu Nome Não é Johnny, de Mauro lima – Indicados: Mariza Leão e Mauro Lima (Brasil)
– Estômago, de Marco Jorge – Indicados: Claúdia Natividade, favbrizio Donvito, Luisa Silvestre e Marcos Jorge (Brasil)
Aquele Querido Mês de Agosto, de Miguel Gomes – Indicados: Miguel Góes, Maria Ricardo e Telmo Churro (Portugal)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

– Meu Nome Não é Johnny, de Mauro lima – Indicado: Júlia Lemertz (Brasil)
– Mal Nascida, de João Canijo – Indicado: Márcia Breia (Portugal)

MELHOR ATOR COADJUVANTE

– Estômago, de Marco Jorge Indicado: Babu Santana ( Brasil)
– Love Birds, de Bruno de Almeida – Indicado: Fernando Lopes (Portugal)

MELHOR ATRIZ

– Nome Próprio, de Murilo Sales – Indicado: Leandra Leal
– Call Girl, de Antônio Pedro Vasconcelos – Indicado: Soraya Chaves

MELHOR ATOR

– Meu Nome Não é Johnny, de Mauro lima – Indicado: Selton Melo (Brasil)
– A Outra Margem, de Luís Felipe Rocha – Indicado: Filipe Duarte (Portugal)

MELHOR FILME DOCUMENTÁRIO
MELHOR MONTAGEM DE DOCUMENTÁRIO

O mistério do Samba, de Carolina Jabor e Lula Buarque de Hollanda
Montagem: Natara Ney

– As Duas Faces da Guerra, de Diana Andringa e Flora Gomes
Montagem: Bruno Cabral

TROFÉU ANDORINHA DIGITAL

Concorrem ao Troféu Andorinha Digital filmes brasileiros, portugueses e africanos nas categorias: animação, ficção longa, ficção curta, documentário longa, documentário curta.

ANIMAÇÃO

– O Anão Que Virou Gigante – Marão (Rio de Janeiro – RJ)
– Terra – Sávio Leite (Belo Horizonte – MG)
– Josué e o Pé de Macaxeira – Diogo Viegas (Rio de Janeiro – RJ)
– Calango Lento – Morte e Vida Sem Ver Água – Fernando Miller (São Paulo – SP)
– Guisado de Galinha – Joana Toste (Vila do Conde – Portugal)
– Cândido – José Pedro Cavalheiro (Vila do Conde – Portugal)
– Cães Marinheiros Joana Toste (Vila do Conde – Portugal)
– Melodia Amarga – Pedro Moura (Vila do Conde – Portugal)
– Annual Report- Cristina Braga (Vila do Conde – Portugal)
– A Meio da Noite – Fernando José Saraiva (Vila do Conde – Portugal)
– Jardim das Cores – Guilherme Reis (Belo Horizonte – MG)
– As Minhas Calças Favoritas – Ivan Inácio Khan (Maputo – Moçambique)

FICÇÃO LONGA

– Juventude – Domingos Oliveira (Rio De Janeiro – Rj)
– Corrupção – Utopia Filmes (Lisboa – Portugal)
– Cristovão Colombo – O Enigma – Manoel Oliveira (Lisboa – Portugal)
– As Teias da Aranha – Sol de Carvalho (Maputo – Moçambique)

FICÇÃO CURTA

– Os Sapatos de Aristeu – René Guerra (São Paulo – SP)
– Picolé, Pintinho e Pipa – Gustavo Melo (Rio de Janeiro – RJ)
– Superbarroco – Renata Pinheiro (Recife – PE)
– O Engano – Cavi Borges (Rio de Janeiro – RJ)
– Dez Elefantes – Eva Randolph (Niterói – RJ)

– Um Dia Frio – Cláudia Varejão (Rio de Janeiro – RJ)
– Dois Coveiros – Gilson Vargas (Porto Alegre – RS)
– Intervalo – Luís Manuel Almeida (Coimbra – Portugal)
– Lygia de Pele Pele – Helena Lustosa (Rio de Janeiro – RJ)
– Odisséia – Rita Palma (Lisboa – Portugal)
– Atlântico – Fábio Meira (Rio de Janeiro – RJ)
– O Atirador – Juliano Verardi (Porto Alegre – RS)
– El Justiceiro – Tiago Sousa (Coimbra – Portugal)
– A Demolição – Aleques Eiterer Rio de Janeiro – RJ)
– Na Terra das Monções – Marcelo Domingues (São Paulo – SP)
– Superfície – Rui Xavier (Vila do Conde – Portugal)
– Corrente – Rodrigo Areias (Vila do Conde – Portugal)
– Kunta – Ângelo Torres (São Tomé e Príncipe)
– Quando Falta o Amor – Alberto Botelho (Luanda – Angola)
– I Love You – Rogério Manjate (Maputo – Moçambique)
– Fevereiro – Francisco Botelho (Brasil)
– Olímpia I e II – Gabriel Abrantes (Portugal)

DOCUMENTÁRIO LONGA

– Acácio – Marília Rocha (Belo Horizonte – MG)
– Cidadão Boilesen – Chaim Litewski (Rio de Janeiro – RJ)
– Só Dez Por Cento É Mentira – Pedro Cézar (Rio de Janeiro – RJ)
– Juruna, O Espírito da Floresta – Armando Lacerda (Brasília – DF)
– KFZ-1348 – Gabriel Moscaro e Marcelo Pedroso (Recife – PE)
– Da Vida das Bonecas – Neni Glock (Oeiras – Portugal)
– Adeus, Até Amanhã de Manhã – Antõnio Escudeiro (Lisboa – Portugal)
– Diário de Sintra – Paula Gaitán (Rio De Janeiro – RJ)
– Pachamama – Eryck Rocha (Rio De Janeiro – RJ)
– Hóspedes da Noite – Licínio Azevedo (Maputo – Moçambique)
– É Dedra Ser Angolano – Coletivo Fazuma (Luanda – Angola)
– Silêncio da Mulher – Gabriel Mondlane ( Maputo – Moçambique)
– Sonho de Criança – Manuel Abreu ( Maputo – Moçambique)
– Muitos Dias Tem um Mês – Margarida Leitão (Portugal)

DOCUMENTÁRIO CURTA

– Tarabatara – Júlia Zakia (São Paulo – SP)
– A Casa dos Mortos – Débora Diniz (Brasília – DF)
– A Tal Guerreira – Marcelo Caetano (São Paulo – SP)
– Menino Aranha – Mariana Lacerda (São Paulo – SP)
– Loucos de Futebol – Haider Gomes (Fortaleza – CE)
– Eu Quero Tomar Café – Rainny Brandão e Iglay Medeiros (João Pessoa-PB)
– A Ocasião Seguinte – Rita Brás e Cláudia Alves (Lisboa – Portugal)
– O Guarani – Cláudio Marques e Marília Hughes (Salvador – BA)
– Vissungos, Fragmentos da Tradição Oral – Cássio Gusson (São Paulo – SP)
– Sinal Fechado – Alexandre Santos e Jurandyr França (Parnamirim – RN)
– Os Balões de 74 – Luciano Soares Mariz (Campina Grande – PB)
– Você Tem Identidade? – Marcelo Reis (Belo Horizonte – MG)
– Se Todos Fossem Iguais – Fernando Barcellos e Joyce Santos (Rio De Janeiro – RJ)
Diário de Aquário – Luís Carlos Lacerda ( Rio de Janeiro – RJ)

TROFÉU ANDORINHA CRIANÇA

– O Guerreiro Didi e a Ninja Lili – Marcus Figueredo (Brasil)
– O Garoto Cósmico – Alê Abreu (Brasil)
– Pequenas Histórias – Helvécio Ratton (Brasil)
– Os Porralokinhas – Lui Farias (Brasil)
– Os Irmãos Grimm – Júlio Moreira (Portugal)

PRÊMIO ENERGISA ESTÍMULO AO AUDIOVISUAL PARAIBANO

Esta mostra competitiva apresenta produções paraibanas recentes. Com o intuito de dar visibilidade e estimular o audiovisual no estado da Paraiba, a Energisa criou o prêmio no valor de R$ 20 mil reais.

Lelê – Carlos Dowling e Shiko (João Pessoa – PB) – menção honrosa
– Duas Vezes Não Se Faz – Marcus Villar (João Pessoa – PB)
– Crias da Piollin – Bertrand Lira (João Pessoa – PB)
– Arqueologia da Memória: a Cerâmica de Gina Dantas – Elisa Cabral e Laurita Caldas (Cabedelo – PB)
– O Guardador – Diego Benevides (João Pessoa – PB)
– 1500-Circular – Chico Sales(João Pessoa – PB)
– N.E.G.O – Chico Sales e Mayk Nascimento (João Pessoa – PB)
– Pensamento vai…pensamento vem… – Vivian Maitê Castro (João Pessoa – PB)
– A que preço? – Eduardo Chaves de Oliveira (Cabedelo – PB)
– Brincantes Visionários – Elinaldo Rodrigues (João Pessoa – PB)
– Pela Tela Pela Janela – Nycolas Albuquerque (Campina Grande – PB)
– Coragem Mulher – Mislene Santos (João Pessoa – PB)
– Amanda e Monick – André da Costa Pinto (Campina Grande – PB)
– Na Lata – Afonso Barbosa e Enver Cabral (João Pessoa – PB)
– Instrumento Detector de Alguma Coisa – Otto Cabral (Cabedelo – PB)
– Sinézio, o Fenômeno – Otto Cabral (Cabedelo – PB)
– Chã de Fora – Otto Cabral (Cabedelo – PB)
– A Língua Lavra – Mônica Fidelis (João Pessoa – PB)
– Aos Pedaços – Taciano Valério (Campina Grande – PB)
– Sweet Karolyne – Ana Bárbara Ramos (João Pessoa – PB)
– Uma História de Pescador – Lilia Tandaya (Cabedelo – PB)
– O Passeio na Vida da Matéria – Bruno de Sales (João Pessoa – PB)
– Essas Mulheres – Alysson Viana, Carol Caldas, Janaina Ayres, Jéssica Nascimento, Lucas Pontes e Maria Silva (João Pessoa – PB)
– Mulheres em Campus – Virgínia de Oliveira (João Pessoa – PB)
– Lúcio Lins – De Corpo e Barco – André Morais (João Pessoa – PB)
– Maria das Dores e dos Mares – André Morais (João Pessoa – PB)
– Enraizados – Niu Batista (João Pessoa – PB)
– A Idade do Vento – Nycolas Albuquerque (João Pessoa – PB)
– Terra Erma – Helton Paulino (Campina Grande – PB) – vencedor
– O Plano do Cachorro – Arthur Lins e Ely Marques (João Pessoa – PB)
– Tem Bicho no Meio do Caminho – Ismael Farias (Cabedelo – PB)
– Sanhauá – Elinaldo Rodrigues (João Pessoa – PB)

Atualizada às 3h52
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.