Política

Bolsonaro confirma demissão de Bebiano do governo

Presidente do PSL na eleição de 2018 teria autorizado verba do fundo partidário para candidata laranja.




Após o impasse que se arrastou por quase uma semana, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno (PSL), foi demitido do cargo pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). Seu sucessor será o atual secretário-executivo da pasta, general Floriano Peixoto. A decisão foi oficializada nesta segunda-feira (18) pelo porta-voz da Presidência, general Otávio do Rêgo Barros, em declaração à imprensa.

Presidente do PSL na eleição de 2018, Bebianno teria autorizado verba do fundo partidário para candidata laranja em Pernambuco. Ele negou ter responsabilidade sobre os repasses do PSL, e disse ter conversado com o presidente “três vezes” durante internação de Jair Bolsonaro.

Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente, disse que a conversa do ministro com o pai é “mentira absoluta”.  Bebianno manteve sua versão, e áudios de conversas dele com Bolsonaro chegaram à imprensa Após o vazamento, Bolsonaro decidiu demitir Bebianno, mas a exoneração demorou dias para ser efetivada.

Questões relevantes

Depois do anúncio do porta-voz, a assessoria de Bolsonaro divulgou um vídeo no qual afirma que “questões relevantes” exigiram uma reavaliação do caso Bebianno. “Avalio que pode ter havido incompreensões e questões mal entendidas de parte a parte, não sendo adequado pré-julgamento de qualquer natureza. Tenho que reconhecer a dedicação e comprometimento do senhor Gustavo Bebianno a frente da coordenação da campanha eleitoral em 2018. Seu trabalho foi importante para o nosso êxito”, afirmou o presidente no vídeo.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.