Política

Vereadores são proibidos de fazer discursos na Câmara

Mesa Diretora justifica que vereadores fazem ofensas, ameaças e a prática de danos ao patrimônio como a quebra de um microfone 




Os vereadores Paulo Marcelo Anastácio e Aureliana de Oliveira Silva, ambos do PT do município de Livramento, no Cariri da Paraíba, foram proibidos de fazer pronunciamentos durante três sessões ordinárias. A censura foi uma punição da Mesa Diretora.

O presidente da Câmara, Manoel Adeilson Filho (DEM), explicou que os parlamentares atentaram contra os preceitos do Regimento Interno com quebra de decoro parlamentar. Disse que Aureliana é reincidente e já foi punida pela gestão anterior, por desrespeitar a Presidência com ofensas, ameaças e a prática de danos ao patrimônio, quando quebrou um microfone da Casa Legislativa, na sessão ordinária de 26 de abril do corrente ano.

Para a vereadora, a atitude do presidente da Câmara é inaceitável, não condiz com o estágio de civilidade pelo qual vem passando a classe política, e, muito menos, está de acordo com os postulados e desígnios da democracia.

Aureliana adiantou que levou o problema ao conhecimento do Ministério Público, para que a situação venha a ser definitivamente resolvida. Ele acredita que a censura foi motivada pelas críticas à prefeita a prefeita Carmelita Ventura, aliada de Manoel Adeilson.
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.