Política

Vereador sindicalista defende terceirização e acha greve incoerente

Alexandre critica postura de centrais sindicais em relação à reforma trabalhista.  



Divulgação
Divulgação
Vereador e sindicalista, Alexandre vê incoerência em greve geral contra reformas trabalhistas e Previdência

O vereador e presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas Prestadoras de Serviços de Campina Grande (SINTEPS-CG), Alexandre Pereira da Silva (PHS), criticou a greve geral convocada pelas centrais sindicais para esta sexta-feira (28) contra a reforma trabalhista, terceirização e da Previdência.

Ele disse que o seu sindicato não participará da manifestação. “A maioria das centrais é contra os terceirizados. Diz que há precarização do serviço terceirizado, o que não é verdade. No entanto, estranhamente, depois da reforma aprovada ontem pela Câmara dos Deputados, passa-se a fazer uma greve na sexta-feira. Acho que estas manifestações deveriam ter sido antes do Congresso aprovar as reformas, pressionar, a exemplo do que foi feito contra o impeachment da presidente da Dilma Rousseff”, alfinetou.

Alexandre do Sindicato, como é mais conhecido o vereador, disse que os terceirizados geram 16 milhões de empregos no país. Lembrou que a única categoria que emprega sem a exigência da experiência, ou seja, do primeiro posto de trabalho.

“As centrais que lá estão combatem a terceirização. Meu sindicato é dos terceirizados. Por ser dos terceirizados, eu não me sinto com vontade de ir para a greve e fazer parte de um grupo que diz contra a terceirização”, justificou o sindicalista.  


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.