Política

TRE-PB julga improcedentes ações contra Ricardo Coutinho e Cássio Cunha Lima

Ações denunciavam supostas condutas vedadas durante as eleições de 2014.



Francisco França
Francisco França
Por falta de provas ambas as ações foram consideradas improcedentes pelo pleno do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba

O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) jugou improcedentes, nesta quinta-feira (16), ações contra o governador Ricardo Coutinho e contra o senador Cássio Cunha Lima. As ações, ambas propostas pela Procuradoria Regional Eleitoral, são referentes a supostas condutas vedadas ocorridas durante as eleições de 2014.

Na ação contra Ricardo Coutinho, o Minitério Público Eleitoral denunciou uma suposta conduta da gerente de ensino, na cidade de Princesa Isabel, no Sertão da Paraíba, Francisca de Lucena Henrique, que teria coagido prestadores de serviço a votar no então candidato à reeleição ao Governo do Estado.

O parecer do Procurador, Marcos Alexandre Bezerra Queiroga, foi pela improcedência da ação, agurmentando que não havia consistência nas acusações e ausência de provas. O parecer foi seguido pelo relator, juiz Breno Vanderley e acompanhado pelos demais membros da corte.

Contra o senador Cássio Cunha Lima, o Ministério Público Eleitoral denunciou uma suposta conduta vedada praticada pela secretária de Direitos Humanos de Mamanguape, Lúcia Carneiro de Brito, em reuniões para pedir votos para o então candidato ao Goveno do Estado, em 2014.

A corte decidiu, por unanimidade, que a improcedência da ação por não encontrar elementos suficientes para comprovar a acusação, conforme voto do relator juiz Breno Wanderley César Segudo.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.