Política

Secretários começam a deixar os cargos

Secretários da Educação e da Administração Penitenciária pediram exoneração dos cargos nesta quarta-feira (4).




Dois secretários do Governo do Estado entregaram os cargos ao governador Ricardo Coutinho (PSB) e, por causa do prazo de desincompatibilização da Justiça Eleitoral, pelo menos mais onze devem se afastar para disputar as eleições de outubro. Com a vacância dos cargos, o governador deve realizar uma reforma administrativa nos próximos dias. Os prazos determinados pela Justiça para desincompatibilização dos funcionários terão início esta semana. O secretário de Estado da Educação, Afonso Scocuglia, pediu exoneração do cargo na última terça-feira e o secretário de Cidadania e Administração Penitenciária do Estado, Harrison Targino, confirmou seu afastamento para voltar a se dedicar à advocacia. Em um acordo com o governador, ele acertou que permaneceria apenas um ano como gestor no Governo.

Harrison não só pretende voltar à advocacia como também pensa em disputar a reitoria da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), como candidato apoiado pelo Governo do Estado. Já Afonso Scocuglia deve ocupar cargo de consultor do Governo do Estado na área de educação.

Afonso Scocuglia endereçou mensagem a alguns amigos, revelando sua decisão de deixar a administração estadual. Na mensagem ele agradece pelo apoio prestado durante o período que respondeu pela pasta. “Solicitei hoje (ontem) ao governador Ricardo Coutinho minha saída da posição de titular da Secretaria de Estado da Educação. Fui convidado e aceitei uma nova missão: trabalhar diretamente com o governador acompanhando os projetos da SEE como seu consultor educacional e pedagógico. Agradeço a todos o apoio recebido e coloco-me à disposição nesta nova missão de Governo”.

Scocuglia chegou à Secretaria de Educação em substituição a Fernando Abath, que renunciou ao cargo em fevereiro de 2011 alegando problemas de saúde. Outro auxiliar que também entregou o cargos logo após a demissão de Abath foi Mário Toscano, que ocupava a pasta da Saúde. Já Harrison Targino é o segundo gestor a comandar a pasta de Cidadania e Administração Penitenciária no governo socialista. O primeiro foi José Alves Formiga, que foi exonerado sem qualquer aviso pelo governador.

O defensor público Otávio Araújo, que comandava a Defensoria Pública Geral, também perdeu o cargo logo no início do Governo. Atualmente, o defensor público geral é Vanildo Oliveira Brito.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.