Política

Prefeito de Serra Branca rebate denúncias e critica oposição

José Mamede classifica denúncia feita por servidor como sendo "factóide político patrocinado por uma oposição desesperada" e promete processar denunciante.




Phelipe Caldas

O prefeito de Serra Branca, José Mamede (PT), entrou em contato com o Paraíba1 para rebater as denúncias feitas pelo servidor municipal Givanildo de Lima Souza, que apresentou documentos que comprovariam irregularidades na atual administração. Givanildo, que é lotado na secretaria de Ação Social, diz que a prefeitura prestou contas de um pagamento de quase R$ 30 mil a ele, mas garante que nunca recebeu nada deste valor. Em sua defesa, o prefeito diz que o caso se trata de um “factóide político”, patrocinado por uma oposição desesperada e atrás de qualquer fato que movimente a reta final da campanha.

Segundo o prefeito petista, o que acontece é uma simplificação na prestação de contas da prefeitura, que empenha os salários de todos os funcionários em nome de apenas um, mas paga sem problemas a todos. “Não teríamos como empenhar um por um os salários de todos os funcionários, e é por isso que empenhamos em nome do primeiro da lista para facilitar”, explicou, garantindo que esta é uma prática lícita e que ninguém recebe um centavo a mais ou a menos do que a respectiva remuneração.

Ainda de acordo com José Mamede, ele já está com uma representação na justiça contra um opositor que “maldosamente tentou apresentar tal prática a população como se fosse um roubo”, e agora garante que uma nova representação será aberta, desta vez contra Givanildo.

Ele disse também que se qualquer pessoa quiser fazer uma análise mais amiúde nos documentos, vai perceber que os empenhos aparecem em nome do “primeiro funcionário e outros”.

É por isso que, segundo o prefeito, o servidor público municipal não recebeu todo o dinheiro constado em seu nome. “Erro existiria se ele tivesse recebido o valor completo. Onde já se viu alguém receber o salário de todos os funcionários? Se isto acontecesse estaria errado e ele teria que devolver o dinheiro. Mas como isto não aconteceu não tem nada de errado”, completou.

Para José Mamede, não há dúvidas das intenções de Givanildo ao fazer uma denúncia a três dias das eleições. “Este é o jogo político que a oposição está acostumada”, se resumiu a dizer.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.