Política

MPF move ação contra cinco ex-prefeitos por compra fraudulenta de material de expediente

Empresário proprietários das papelarias envolvidas no caso também são alvos de processo.




Após a conclusão de inquéritos civis, o Ministério Público Federal (MPF) ajuizou, na 12ª Vara da Justiça Federal, oito ações – sendo três penais e cinco de improbidade administrativa – contra cinco municípios do Brejo da Paraíba: Araruna, Pilõezinhos, Riachão, Serraria e Lagoa de Dentro. Eles são acusados de fraude em licitações para aquisição de materiais de expediente, com recursos federais.

Além do casal proprietário das duas papelarias envolvidas no possível esquema fraudulento, mais 49 pessoas são demandadas nas ações ajuizadas pelo MPF em Guarabira, entre eles os ex-prefeitos Wilma Targino Maranhão, Geraldo Mendes Junior, Paulo da Cunha Torres, Severino Ferreira da Silva e Sueli Madruga Freire – de Araruna, Pilõezinhos, Riachão, Serraria e Lagoa de Dentro, respectivamente. Wilma, Geraldo e Sueli são alvo de ações de improbidade e penal, já Paulo e Severino apenas de improbidade administrativa.

A investigação teve início no âmbito da Procuradoria da República na Paraíba, em João Pessoa, no ano de 2013. Através dela, o MPF descobriu que duas empresas do ramo de papelaria teriam participado, de forma fraudulenta, de cerca de 300 licitações na Paraíba, de 2005 a 2012.

Segundo o MPF, “a Papelart e Lápis e Papel eram administradas pelo casal Maurílio de Almeida Mendes e Maria Edna Nunes Mendes, que já tinham a empresa Papelart e, por meio de interposta pessoa, constituíram e administravam a empresa Lápis e Papel”.

De acordo com o MPF, “identificado esse fato, especialmente pela vultosa quantidade de licitações em que essas empresas participaram conjuntamente, foram desmembradas várias investigações, por município, a fim de apurar os certames em que figuraram como licitantes as duas empresas”. Ainda segundo o MPF, a Papelart e Lápis e Papel sempre participavam dos certames em conluio com um terceiro licitante – com tudo combinado.

Outros envolvidos

Além do casal, mais 49 pessoas são demandadas nas ações ajuizadas pelo MPF em Guarabira, entre eles os ex-prefeitos Wilma Targino Maranhão, Geraldo Mendes Junior, Paulo da Cunha Torres, Severino Ferreira da Silva e Sueli Madruga Freire – de Araruna, Pilõezinhos, Riachão, Serraria e Lagoa de Dentro, respectivamente. Wilma, Geraldo e Sueli são alvo de ações de improbidade e penal, já Paulo e Severino apenas de improbidade administrativa.

A reportagem do Jornal da Paraíba ligou para a Papelart, mas as ligações não foram atendidas.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.