Política

Moradores de João Pessoa denunciam “calote” em compra de votos

Moradores do bairro de Cruz das Armas teriam vendido o voto por R$ 70, mas depois de eleito o candidato não teria aparecido para pagar o prometido.




Da Redação

Um fato grave e inusitado aconteceu nesta segunda-feira (6), no dia seguinte às eleições municipais. Em João Pessoa, no bairro de Cruz das Armas, aproximadamente 100 eleitores protestavam contra um dos candidatos eleitos a vereador, que está sendo acusado de compra de voto. Segundo a denúncia da população do bairro, o candidato teria passado pela Rua do Rio alguns dias antes das eleições, pedindo voto e prometendo que se eleito daria R$ 70 a cada eleitor. O pagamento aconteceria na manhã desta segunda, mas como ele não apareceu a população teria ficado revoltada.

O vídeo ao lado mostra o protesto e a denúncia de uma das moradoras que estava disposta a vender o voto. A nossa reportagem colocou a voz dela, mas preferiu não identificá-la.

As pessoas presentes em Cruz das Armas nesta segunda, inclusive, prometem ir nesta terça-feira (7) à justiça eleitoral para realizarem um protesto contra o candidato.

Em entrevista à reportagem, o delegado Derly Brasileiro, da Polícia Federal, se mostrou indignado com os denunciantes. “O eleitor tem duas opções: ou pode me procurar pessoalmente ou pode ir ao Procon”, ironizou, chamando-os de criminosos e sem-vergonhas. “A compra de voto é um crime eleitoral, e estes eleitores que vendem o voto não têm princípios morais nem éticos”, disparou.

Ele disse que até agora não recebeu nenhuma denúncia, mas antecipou que os denunciantes também serão indiciados.

Outro que lamentou o ocorrido foi o procurador geral eleitoral Guilherme Ferraz, ao dizer que estas práticas não foram evitadas mesmo com toda a campanha feita na mídia.

Ferraz explicou, no entanto, que os compradores serão indiciados por “corrupção eleitoral passiva”, mas que eles poderiam ser beneficiados com a o privilégio da delação premiada, usada para quem comete crime, mas que aceita dar informações que denunciem os idealizadores do esquema criminoso.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.