Política

Mobilidade em JP gera polêmica

Saúde e mobilidade urbana também foram discutidas pelos candidatos a vice-prefeito no debate da 101 FM.




Em outro momento, Efraim também entrou em ‘colisão’ com Tavinho ao acusar o candidato José Maranhão (PMDB) de não ter feito nada pela mobilidade quando governou o Estado. O vice do peemedebista disse que o democrata não conhecia a realidade da cidade, pois Maranhão fez a duplicação da BR-230 que beneficiou João Pessoa. “Maranhão não foi prefeito, mas quando governador foi o maior prefeito que João Pessoa teve”, afirmou. “Maranhão licitou a Via Jaguaribe e o governador Ricardo, quando prefeito não autorizou”, completou.

Ítalo Kumamoto também fez críticas ao atual governo municipal e também ao estadual durante o debate abordando temas como a terceirização da saúde e a situação dos servidores públicos.

“Não vou ter o dissabor de ver no governo Cícero uma grávida com teste de gravidez sendo demitida pelo prefeito simplesmente porque ela não acompanhou sua decisão política”, disse, insinuando que gestão municipal persegue servidores. Sobre a terceirização, ele acabou sendo respondido por Nonato Bandeira.

“Em João Pessoa nós não temos essa discussão, foi reformada toda a rede hospitalar que estava praticamente sucateada nos 8 anos de gestão do senador Cícero Lucena. Na gestão de Agra foi moralizada a questão da saúde e não existe essa discussão de terceirização da saúde no município”, disse o vice de Cartaxo.

Diante dos ataques mútuos dos quatro candidatos, Ana Júlia disse que eles representam apenas “um jogo de troca de poder para poder conseguir um cargo”.

Com relação às propostas, ela defendeu a educação em tempo integral e também a participação do município na questão da segurança. “Na nossa visão, a questão de segurança pública está ligada a vários microproblemas que é preciso resolver", asseverou a socialista.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.