Política

Maranhão rebate acusações de Ricardo e diz não ter endividado PB

Ex-governador concedeu entrevista na manhã desta segunda-feira (4). Ele garantiu que deixou o Estado em situação confortável e que acusações são "levianas e irresponsáveis".




Jhonathan Oliveira

O ex-governador José Maranhão (PMDB) concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira (4) e se defendeu das acusações da atual gestão que dizem que ele deixou a Paraíba com um alto índice de endividamento. O peemedebista afirmou que o Governo ficou em situação econômica confortável e disse que acusações contra ele eram “levianas e irresponsáveis”. Segundo ele, o próprio balanço econômico de 2010, divulgado na última semana, comprova que as finanças do Estado estão boas.

A entrevista de Maranhão aconteceu na sede do PMDB e reuniu um grande número de pessoas. Entre os presentes estavam ex-secretários da gestão de Maranhão, parlamentares do PMDB e até políticos aliados de outros partidos.

Maranhão disse que havia resistido a responder as acusações feitas pela equipe do governador Ricardo Coutinho (PSB) e afirmou que as respostas foram publicadas no balanço econômico. “Agora, eu desafio o Governo e os seus representantes a apresentarem um contrato que justifique os números que foram apresentados antes”, disse.

O ex-governador disse que se as dívidas citadas pela atual gestão existissem a Paraíba já havia perdido recursos do Fundo de Participação dos Estados (FPE). “Se houvesse qualquer inadimplência de contrato isso já haveria acontecido”, garantiu.

Maranhão disse que no último mês de seu mandato, dezembro de 2010, a disponibilidade financeira era de R$ 519 milhões. “Situação da Paraíba era confortável, utilizamos apenas 37, 43% do limite legal para endividamento do Estado. E não sou que estou dizendo, isso é o que está no balanço”, afirmou. Ele destacou também que deixou mais de R$ 516 milhões, oriundos de empréstimos adquiridos junto ao BNDES e a CAF, disponíveis para que o governador Ricardo Coutinho utilize.

Ele ressaltou ainda que as dívidas da Cagepa não podem ser contabilizadas como do Estado, pois a companhia é uma empresa de economia mista e tem receitas próprias. “Secretários de Governo estão sendo maus conselheiros e estão levando o governador ao erro”, disse

Cem dias de Governo

Durante a entrevista Maranhão preferiu não avaliar os cem primeiros dias de Governo de Ricardo Coutinho, segundo ele “o povo é quem vai fazer esse julgamento”. Apesar disso, fez algumas críticas à atual gestão.

Entre os pontos criticados por Maranhão, esteve o Hospital de Trauma de Campina Grande. Ele disse que deixou a unidade pronta e a gestão de Ricardo ainda não se preocupou em entregar. “Isso é uma coisa muito triste, deixamos o hospital pronto, o que faltava era apenas o treinamento dos profissionais”, ponderou.

Um outro ponto citado por ele foi a questão da segurança estadual. "O atual governador disse que acabaria com a insegurança em 24 horas e o que vemos é que a criminalidade está aumentando".

Nomeação no Governo Federal

O ex-governador também comentou o impasse em torno de sua nomeação para o Governo Federal. Ele voltou a dizer que não está pleiteando o cargo, mas garantiu que só for nomeado aceita sem nenhum problema.

Ele também falou sobre as especulações de que o governador Ricardo Coutinho poderia estar impedindo sua ascensão, segundo só apenas o próprio chefe do Executivo pode comentar o assunto. “Dizem muito isso, agora cabe a ele dizer se é verdade ou não”.

Resposta do Governo

A secretária de Finanças do Estado, Aracilba Rocha, e o chefe da Controladoria Geral, Luzemar Martins, concedem entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (4) para responder as declarações feitas pelo ex-governador José Maranhão.

A entrevista acontece às 16 horas no auditório da Cinep.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.