Política

Mais três prefeituras da PB demitem servidores para reduzir gastos

Outras duas prefeituras já tinham anunciado medida, que afeta mais de 900 servidores comissionados e prestadores de serviço.




Sob alegação de dificuldades financeiras, gestores de outras três prefeituras paraibanas decidiram exonerar todos os servidores comissionados e os contratados por excepcional interesse público. Além das prefeituras de Cajazeiras e Pombal, ambas no sertão da Paraíba, que já tinham anunciado certes, o Diário Oficial dos Municípios desta segunda-feira (11) publicou a determinação de demissão em massa em Monte Horebe, São José do Brejo do Cruz e Serra Grande.

Com as medidas, que valem a partir deste mês de dezembro, um total de 948 servidores estão “no olho da rua”, segundo dados mais atualizados do Sagres do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), relativas a outubro deste no. A estimativa, no entanto, é haja uma redução de R$ 1,76 milhões nos gastos com pessoal das cinco prefeituras.

Em Serra Grande, segundo dados dos Sagres, devem ser exonerados 124 servidores, sendo 55 comissionados e 69 prestadores de serviço. A portaria do prefeito Jairo Halley de Moura Cruz tem data retroativa ao dia 1º de dezembro e exclui da demissão os secretários municipais, chefe de gabinete, assessor jurídico, tesoureiro e alguns assessores técnicos e diretores de departamento. O impacto sobre a folha de pessoal deve chegar a R$ 177 mil.

Já Monte Horebe devem ser exonerados 110 servidores, sendo 70 comissionados e 40 contratados por excepcional interesse público. Conforme a portaria do prefeito Marcos Eron Nogueira, ficam de fora apenas os secretários municipais, ordenadores de despesas, de Administração e Fazenda, Secretária de Saúde, Secretária de Educação e Secretaria de Ação Social. O impacto sobre a folha de pessoal deve chegar a de R$ 208 mil.

Decreto extensivo

Já o prefeito de São José do Brejo do Cruz baixou um decreto visando a contenção de despesas, no qual determina apenas a exoneração dos contratos por excepcional interesse público existentes no município. Segundo o Sagres, em outubro, o município contava com apenas 17 prestadores e o impacto na folha não passa de R$ 39 mil. O decreto, ainda, exclui do afastamento da folha os motoristas das ambulâncias, médico do PSF, odontólogo do PSF, psicóloga, assistente social, e profissionais dos serviços de convivência e fortalecimento da Secretaria Municipal de Assistência Social. As vagas dos prestadores serão ocupadas por comissionados ou servidores efetivos.

Para frear os gastos, no entanto, o prefeito passou a proibir concessões de novas gratificações aos servidores em todos os níveis da Administração Municipal, por prazo indeterminado, exceto em casos excepcionais e de necessidade vital para o funcionamento de órgãos essenciais da Administração.

Cajazeiras e Pombal

No início deste mês, o prefeito de Cajazeiras, José Aldemir (PP), e de Pombal, dr. Verissinho (PMDB), também resolveram dar ‘canetada’ e demitiram comissionados e prestadores de serviço como medida de contenção de despesas. Em Cajazeiras, mais de 400 servidores foram exonerados dos quadros do municípios. Já em Pombal, mais de 200 foram afastados.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.