Política

Mais de 2 mil vereadores entram em férias coletivas na Paraíba

Apesar dos altos salários, Poder Legislativo entra em recesso de até 3 meses, deixando 200 prefeitos sem fiscalização.



Divulgação
Divulgação
Vereadores de Sousa, que fica no Sertão da Paraíba, ganham R$ 6,8 mil por mês

Mais de 2,2 mil vereadores da Paraíba já entraram de férias e só retornam aos trabalhos em plenário em fevereiro ou março do próximo ano, sem falar no recesso parlamentar de 30 dias no meio do ano, diferente da maioria dos trabalhadores que só descansa um mês por ano. Nesse período, os prefeitos ficam sem fiscalização efetiva do Poder Legislativo. 

É o caso, por exemplo, do município de Puxinanã, no Agreste paraibano. Os vereadores estão de férias desde o dia 30 de novembro e só voltam às sessões, após o Carnaval. Além do longo recesso, só há duas sessões por mês. O salário: R$ 3 mil. Entretanto, o presidente da Câmara, Gilvan Francisco de Sousa (Rede), sai em defesa dos parlamentares.

“Mesmo no recesso, a Câmara fica aberta para receber reivindicações da sociedade, que nós encaminhamos ao Poder Executivo, por meio de contato direto com os secretários municipais ou ofícios. Diariamente, estou nos sítios conversando com o povo”, explica Gilvan.

Em Sousa, no Sertão da Paraíba, os parlamentares também iniciaram o recesso em 30 de novembro e retornam para participar de sessões ordinárias em 1º de fevereiro de 2016. Um vereador na “Terra dos Dinossauros” ganha R$ 6,8 mil por mês. Todavia, o presidente da Câmara, Aldeone Abrantes (PTB), avisou que as férias serão interrompidas esta semana para que os vereadores participem de audiência pública, a fim de discutir a nova taxa de iluminação pública. Depois, será convocada sessão especial para a votação do projeto enviado pelo Poder Executivo.

Ainda no Sertão, os vereadores de Cajazeiras entraram de férias no final de novembro e retornarão ao batente em fevereiro do próximo ano. Em Bonito de Santa Fé, no Sertão, os nove vereadores entraram de férias no dia 30 de novembro e só retornam aos trabalhos em plenário em 1º de fevereiro. Trabalham até maio e paralisam as atividades para novo recesso. Depois, voltam a trabalhar em agosto. Cada edil recebe R$ 2.770,00 por mês.

No Brejo da Paraíba, os vereadores de Solânea entraram de férias no dia 25 de novembro e só vão retornar aos trabalhos em plenário, em fevereiro do próximo ano. Depois entram em recesso em junho, voltando em julho. Em Alhandra, Litoral Sul da Paraíba, os vereadores têm benefícios praticamente idênticos, ou seja, gozam quatro meses de férias e participam de uma sessão ordinária por semana. Já o salário chega a R$ 4.077.

Em Pedras de Fogo, os 11 parlamentares também gozam quatro meses de férias por ano. A Câmara Municipal se reúne ordinariamente de 1º de fevereiro a 31 de maio e de 1º de agosto a 30 de novembro. Cada parlamentar recebe R$ 5.092. Na Câmara de Catingueira, no Sertão, o recesso parlamentar é de quatro meses.  


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.