Política

Líderes batem boca pela decisão de Ricardo em não privatizar Cagepa

Tovar acusou governo de ‘pirotecnia’ e governista se insurgiu contra tucano. 



Roberto Guedes/alpb
Roberto Guedes/alpb

A decisão do governador Ricardo Coutinho (PSB) em não privatizar a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) foi alvo de troca de farpas entre os líderes das bancadas de oposição e situação na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) na manhã desta terça-feira (5). A confusão teve início quando o líder oposicionista, Tovar Correia Lima (PSDB), acusou o governo de fazer ‘pirotecnia’ para tirar proveito político.

O líder da base, Hervázio Bezerra (PSB), rapidamente se insurgiu contra o adversário político, acusando a oposição de dar “um tiro no pé” e de ter perdido o discurso. “A oposição está sofrida em fazer oposição nesta Casa a um governo proeminente e corajoso que só orgulho dá a todos nós e lição de como um cidadão político deve se comportar. A oposição chegou a dar entrevista dizendo que ia marcar audiência pública para debater a privatização da Cagepa e quebraram a cara”, argumentou.

Já em plenário, Tovar voltou a ironizar a postura de Hervázio Bezerra. O tucano lembrou que o líder governista já foi aliado do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), hoje adversário, e em tom de brincadeira convidou o socialista para ser seu líder, “no dia em que for governador do estado”. 

Hervázio Bezerra disse que ainda deve fazer esse debate “olho a olho” com Tovar. “Se ele se envergonha do seu passado, eu não me envergonho do meu. Não só defendi Cássio, como Ronaldo (Cunha Lima) em meu primeiro mandato na Câmara Municipal. Tem que contar não metade da história, mas a história toda”, encerrou.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.