Política

Justiça condena ex-presidente de Câmara a 4 anos de prisão

Adão Soares pagou R$ 2,1 mil pelo contrato de locação de veículo, que nunca foi usado a serviço do Legislativo de Caldas Brandão. 
 



Natália Xavier
Natália Xavier
Aluízio Bezerra comprovou nos autos que a locação do veículo foi forjada

O juiz Aluízio Bezerra Filho condenou o ex-presidente da Câmara de Vereadores do município de Caldas Brandão, no Agreste paraibano, Adão Soares, a quatro anos e seis meses de prisão em regime semiaberto e multa por ter praticado crime de peculato.

Adão Soares foi denunciado pelo Ministério Público da Paraíba em fevereiro de 2011, acusado de ter desviado dinheiro público da Câmara de Vereadores. O desvio ocorreu durante o exercício de 2009 (quando ele era presidente do legislativo municipal), através de um contrato de locação de veículo no valor de R$ 2.100,00, que nunca foi usado a serviço da Câmara de Vereadores.

“O que se comprovou nos autos foi a locação forjada do veículo arquitetada pelo réu Adão Soares, desviando valores da Câmara Municipal de Caldas Brandão em seu benefício ou de outrem”, ressaltou o juiz Aluízio Bezerra, na sentença.

De acordo com a promotora de Justiça Jaine Didier, também ficou provado que a pessoa que aparece como locador do veículo não celebrou nenhum contrato, que suas assinaturas foram falsificadas (o que foi confirmado com perícia grafotécnica) e que ele nunca se beneficiou de nenhum dos cheques emitidos em seu favor e feitos em favor de pessoas que não locaram qualquer veículo à Câmara de Vereadores. “Por isso, o Ministério Público requereu a sua absolvição”, explicou. Procurado, Adão Soares não foi encontrado para comentar a decisão.  

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.