Política

Gilvan diz que declarações de Cássio sobre senadores foram “inadequadas”

Ex-deputado estadual Gilvan Freire (PTB) foi taxativo nesta terça-feira (18) ao classificar de “inadequadas” as declarações do governador Cássio Cunha Lima.




Phelipe Caldas

O ex-deputado estadual Gilvan Freire (PTB) foi taxativo nesta terça-feira (18), em entrevista à Rede Paraíba Sat, ao classificar de “inadequadas” as declarações do governador Cássio Cunha Lima, que na segunda-feira fez críticas públicas aos senadores Efraim Morais (DEM) e Cícero Lucena (PSDB) por terem destinado as verbas de suas emendas ao orçamento 2009 para serem regidas pela União.

Gilvan admitiu que o fato provocou uma crise na bancada aliada do Governo do Estado, e que esta só não teve graves desdobramentos porque os senadores preferiram não responder às acusações do governador.

Sem meias palavras, o ex-líder do governador na Assembléia Legislativa disse que Cássio “errou feio ao tornar pública sua insatisfação” e disse que estas questões deveriam ser discutidas internamente.

"Todo mundo é passível de erro, mas como grande líder que é Cássio deveria ter mais cuidado nas declarações que faz. Se ele já tinha conversado sobre o assunto com os senadores, não precisaria dizer o que disse em cadeia de rádio para toda a Paraíba", opinou.

Para o ex-parlamentar, muitas pessoas inclusive classificaram as declarações de Cássio já como uma prévia para 2010, e que isto não seria salutar para o grupo político de situação. "É como se ele dissesse que, por não ter recebido as emendas agora, não teria nenhuma obrigação com os dois nas próximas eleições estaduais", destacou.

Num caminho contrário, ele elogiou a atitude dos senadores paraibanos citados nominalmente por Cássio, que segundo Gilvan mantiveram a sensatez e evitaram um bate-boca mais sério e irreversível.

Entenda o caso – O governador Cássio Cunha Lima (PSDB) usou o programa de rádio Boa Tarde Paraíba desta segunda-feira (17) para criticar a posição tomada pela bancada federal da Paraíba em privilegiar o Governo Federal e as prefeituras na destinação das emendas de 2009.

Cássio declarou que respeita a autonomia dos parlamentares, mas que lamenta a escolha que foi feita. “Este era o único momento em que eles poderiam me ajudar, porque tanto Cícero como Efraim são senadores de oposição ao Governo Lula. Respeito eles, mas tenho que deixar registrado minha insatisfação e minha incompreensão", destacou.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.