Política

Fabiano Lucena ataca Guilherme Ferraz na Assembléia Legislativa

Deputado faz duros ataques ao Procurador da República Guilherme Ferraz no plenário da Assembléia Legislativa na tarde desta terça-feira (29).




Maurício Melo

O deputado Fabiano Lucena (PSDB) fez duros ataques ao Procurador da República Guilherme Ferraz no plenário da Assembléia Legislativa na tarde desta terça-feira (29). Para ele, o procurador "é um sujeito vaidoso que quer aparecer, ficar famoso e ganhar notoriedade às custas da reputação de políticos."

Ferraz responde pelo Ministério Público Eleitoral na Paraíba e denunciou o deputado por crime eleitoral por compra de votos. O processo trata Fabiano Lucena como "chefe de quadrilha" que contava com dezenas de pessoas e atuavam oferecendo dinheiro supostamente em troca de votos.

O deputado, que se diz vítima de uma "caça às bruxas", achou um processo em que o promotor tem questionado seu ingresso no serviço público há cerca de 10 anos. Segundo Fabiano, Ferraz teria usado de uma "malandragem" para conseguir ser contratado pelo INSS. "Ele (Ferraz) arrumou lá uns documentos e conseguiu assumir", alardeou no plenário.

Por conta desta suposta peleja judicial que o deputado acusa o promotor de viver, ele acredita que Ferraz não tem o direito de "opinar" no processo de crime eleitoral. "Enquanto ele não resolver suas questões judiciais, não tem o direito de julgar ninguém", sentenciou Fabiano Lucena dizendo que vai pedir a suspeição do promotor que representa o Ministério Público.

Fabiano Lucena reclama de um vazamento de gravações telefônicas que o comprometem no processo por compra de votos. Ele culpa Guilherme Ferraz pela distribuição das gravações à imprensa e diz que sua exposição na mídia foi danosa à sua campanha. "Só tive acesso às gravações três dias depois de ter ouvido no rádio", reclamou.

De férias há dez dias e fora do Brasil, Guilherme Ferraz, tem acompanhado as informações através da assessoria do Ministério Público, que já emitiu nota de repúdio assinada por todos os procuradores. A nota pode ser lida na íntegra abaixo.

Nota de Repúdio

   O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL (MPF), por seus membros abaixo assinados, vem a público repudiar as afirmações injuriosas e difamatórias assacadas contra a pessoa do Procurador da República José Guilherme Ferraz da Costa, pelo site Click PB (http://www.clickpb.com.br), em 28 de julho de 2008.

   Na pretensa “reportagem” é nítido o intento de atingir a honra do Procurador da República José Guilherme Ferraz da Costa e confundir a opinião pública a respeito de fatos ocorridos há mais de dez anos, fruto dos inúmeros concursos jurídicos a que José Guilherme Ferraz da Costa se submeteu, sempre logrando os primeiros lugares. Servindo-se de grosseira falsificação da verdade, o articulista pretende equiparar uma disputa judicial por vaga às ações de improbidade e criminais que maculam as fichas daqueles que se ocultam por trás do instrumento da infâmia.

   Expedientes odiosos dessa natureza não lograrão sequer arranhar o elevado conceito que o Procurador da República José Guilherme Ferraz da Costa granjeou entre seus pares e na sociedade paraibana, pela sua defesa firme e intransigente da legalidade, do interesse público e da moralidade. Os autores dessa indecorosa e gratuita agressão responderão civil e criminalmente pelos seus atos.


João Pessoa, 29 de julho de 2008


DUCIRAN VAN MARSEN FARENA
Procurador da República

YORDAN MOREIRA DELGADO
Procurador da República

ROBERTO MOREIRA DE ALMEIDA
Procurador da República

WERTON MAGALHÃES COSTA
Procurador da República

RODOLFO ALVES SILVA
Procurador da República

EDSON VIRGÍNIO CAVALCANTE JÚNIOR
Procurador da República

KLEBER MARTINS DE ARAÚJO
Procurador da República

ACÁCIA SOARES PEIXOTO SUASSUNA
Procuradora da República

VICTOR CARVALHO VEGGI
Procurador da República

FERNANDO ROCHA DE ANDRADE
Procurador da República


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.