Política

“Estou no bloco da proposição”, garante Renato Martins, durante posse na Câmara de João Pessoa

Com passagem pela bancada de oposição, vereador agora muda o tom.




A posse de Renato foi simples e discreta, a fim de evitar aglomerações devido a pandemia do novo coronavírus. Foto: CMJP

“Estou no bloco da proposição”. Foi com este discurso que o suplente Renato Martins (Avante) tomou posse na Câmara Municipal de João Pessoa, na manhã desta quinta-feira (2). O ex-vereador volta à Casa Napoleão Laureano para assumir a cadeira deixada pelo vereador Tanilson Soares (PSB), que se licenciou do cargo para tratar de assuntos particulares por 120 dias.

A solenidade de posse foi simples e discreta, a fim de evitar aglomerações devido ao surto do novo coronavírus (Covid-19). Renato Martins, que já foi vereador na Casa Napoleão Laureano no período de 2013 a 2016, adiantou que as primeiras ações de seu mandato serão voltadas ao combate à pandemia do Covid-19 na Capital.

Segundo Renato, o seu mandato está elaborando projetos que viabilizem a concessão de incentivos fiscais para a produção em massa de ventiladores pulmonares nacionais que sejam eficazes e de baixo custo. Além disso, o vereador defendeu a universalização do adicional de insalubridade em 40% para profissionais da Saúde.

“Queremos que esse percentual chegue a técnicos, profissionais da radiografia, médicos, todos que atuam na Saúde. Para eles, há um custo psicológico, por estarem na linha de frente contra um vírus nocivo, e também financeiro, pois muitos estão subsidiando do próprio bolso a compra de materiais de proteção para trabalharem. É preciso respeito e estímulo a estes profissionais em geral. Queremos atualizar a Lei Municipal de 2009, que prevê só 20%, mesmo em época de pandemia”, enfatizou Renato Martins.

 

Arrecadação de fundos municipais

 

Outra iniciativa anunciada pelo vereador é um projeto baseado no decreto de calamidade pública a partir do qual destinará recursos arrecadados por fundos municipais para o apoio às famílias em quarentena, em situação de risco e que enfrentam extrema precariedade.

“O projeto determina o uso de recursos dos Fundos de Mobilidade Urbana (multas de trânsito); Fundurb (taxas de alvarás); o Fundo referente às infrações ambientais; e o Fundo de Defesa do Consumidor (multas do Procon-JP). O mapeamento das famílias e a distribuição dos benefícios, a exemplo de remédios e alimentos, entre outros, serão fiscalizados por igrejas, a CMJP, a Ordem dos Advogados da Paraíba (OAB-PB), Ministério Público da Paraíba (MPPB) e associações comunitárias. Queremos que a prevenção e que as chances de sobrevivência venham para tosos por igual, assim como evitar violência e saques também”, explicou Renato Martins.

 

Atuação na CMJP

 

Na passagem pela Casa Napoleão Laureano, Renato Martins foi integrante da bancada da oposição e chegou a assumir a liderança do grupo. Seu mandato teve destaque na luta pela mobilidade, transporte público de qualidade, melhores condições de trabalho para servidores municipais e demandas na área da educação, com a inserção de conteúdos transversais no ensino fundamental, como funcionamento do sistema financeiro e de órgãos e instituições públicas.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.