Política

Emerson Panta decidir adiar para março retorno das aulas presenciais em Santa Rita

Prefeito reeleito concedeu entrevista exclusiva à CBN João Pessoa nesta sexta-feira (15).




Foto: divulgação/CBN

O prefeito reeleito de Santa Rita, Emerson Panta (PP), decidiu adiar para o mês de março o retorno dos alunos da rede pública e privada do município à sala de aula. Em entrevista exclusiva à CBN João Pessoa, na manhã desta sexta-feira (15), ele antecipou que a sua gestão está com o planejamento de iniciar o ano letivo, em fevereiro, ainda na modalidade remota, devido a pandemia do novo coronavírus, e apenas a partir de março com a modalidade mista, entre presencial e virtual, tanto na rede pública quando na rede privada. A CBN está fazendo uma série de entrevistas com os prefeitos da Grande João Pessoa.

“Estamos trabalhando com esta perspectiva de que a partir de março a gente inicie os primeiros passos dessa aula presencial. Claro que será opcional para o aluno que queira participar e com uma certa quantidade de alunos em sala de aula”, explicou Emerson Panta.

O prefeito também falou da instalação da primeira escola cívico-militar do município, que vai funcionar em tempo integral, em parceria com a Polícia Militar, que disponibilizou oficiais da reserva. Ela funcionará no antigo Caic e oferecerá mais de 480 vagas do 5º ao 9º ano do ensino fundamental. “Ela vem com uma grande procura. Nós tínhamos o planejamento de abri-la em 2020, mas diante da pandemia ela foi adiada, e agora vamos abri-la este ano. Vamos tocar o projeto, que é importante”, comentou.

 

Outros temas

 

Antes do tema educação, o prefeito também comentou sobre o projeto de instalação de uma usina de energia solar na cidade, que deve ser ampliada através da reativação do Consórcio das cidades da Região Metropolitano de João Pessoa. “O estudo inicial que fizemos para Santa Rita estamos disponibilizando para as demais cidades da região”, comentou.

Em relação à saúde, Panta falou das propostas para alcançar a autonomia da cidade em saúde. “Nenhuma cidade pode viver isolada e autossuficiente em relação à saúde, com exceção da capital, e com ela compramos e contratamos serviços. Essa integração é que permite que cidades menores venham a ter, principalmente na área de maior necessidade de especialidades, como cirurgias de alta complexidade e alto custo. Mas Santa Rita está construindo paulatinamente sua rede própria, por exemplo, com a construção de um hospital materno-infantil e de centros de referência”, disse.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.