Política

Deputados não vão à Assembleia para conduzir transição

Parlamentares estão com dificuldades para conciliar mandato e mudança em prefeituras.




A um mês da diplomação dos eleitos pela Justiça Eleitoral, na Paraíba, os três deputados estaduais Luciano Cartaxo (PT), André Gadelha (PMDB) e Francisca Motta (PMDB) e o deputado federal Romero Rodrigues (PSDB), vêm se desdobrando entre a atividade parlamentar e o trabalho de acompanhamento de transição de governo com os atuais gestores das cidades, as quais devem governar nos próximos quatro anos. Esta semana, os três deputados estaduais não compareceram às sessões na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

Eleito para administrar João Pessoa a partir de 2013, o prefeito eleito Luciano Cartaxo, embora não tenha se afastado oficialmente da ALPB, mas nesta semana não compareceu a nenhuma das sessões que ocorreram na Casa por ter ido a Brasília captar recursos junto ao governo federal. A última delas, na última quarta-feira, Cartaxo se encontrou com o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro (PP).

Na audiência, foram tratados temas ligados à política habitacional, ‘Minha Casa, Minha Vida’ e à infraestrutura da cidade de João Pessoa. "Também conversamos muito sobre o programa PAC da Mobilidade Urbana, que envolve a construção de quatro corredores urbanos de ônibus, um projeto de quase R$ 188 milhões", disse o prefeito eleito.

O prefeito eleito de João Pessoa também se reuniu com a ministra Ideli Salvatti, com quem tratou do Orçamento para 2013.

O deputado André Gadelha está em processo de transição para assumir a prefeitura de Sousa. Também sem visitar a Casa desde a semana passada, Gadelha disse que está com a equipe de transição montada, mas com dificuldades para ter acesso às informações com o prefeito Fábio Tyrone (PSB). “Vou recorrer ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas, pedir ajuda para garantir que haja transição na cidade”, afirmou. Já a deputada Chica Motta vem se intercalando entre participações em sessões e a transição governamental. “Vem sendo pacífica, já que somos aliados”, revelou a prefeita eleita de Patos.

O advogado eleitoral Eduardo Costa disse que é comum que os políticos detentores de mandato eletivo não se ausentem antes da posse no cargo para os quais foram eleitos.

“Mesmo após a diplomação, os deputados podem continuar exercendo seu mandato sem perdê-lo. Apenas com a posse é que eles terão que se afastar de um deles, porque a cumulação de cargos é inconstitucional”, explicou.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.