Política

Contrariando pedido do governador, deputados priorizam recursos hídricos

Parlamentares ainda alimentam a esperança de verem suas bases eleitorais contempladas pelo Executivo no próximo ano. 




Contrariando pedido feito pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), os deputados estaduais vão priorizar a área dos recursos hídricos em suas emendas que serão apresentadas ao orçamento do próximo ano. Apesar de nenhuma das emendas incorporadas ao orçamento deste ano ter sido executada pelo governo do Estado, os parlamentares ainda alimentam a esperança de verem suas bases eleitorais contempladas pelo Executivo no próximo ano. 

O próprio líder do governo na Assembleia Legislativa, Hervázio Bezerra (PSB), estima que entre 60% e 70% das emendas que serão apresentadas pelos deputados sejam destinadas a ações de enfrentamento à seca. “Uma das principais crises que o nosso estado passa é, sem dúvida, a crise hídrica. Pelo que eu tenho conversado com os deputados, e esse também é o meu objetivo, vamos canalizar as emendas principalmente para recursos hídricos”, afirmou.

Porém, o pedido feito pelo governador era para que 70% das emendas fossem direcionadas para a educação, não deve ser completamente esquecido pelos deputados. Segundo Hervázio, uma parcela das propostas será relativa à área. Para ele, não apenas os deputados governistas devem seguir a orientação, mas também os oposicionistas. “Um estado sem educação praticamente não existe. Então nós vamos dar atenção à educação, mas vamos priorizar também a parte hídrica porque sem água ninguém sobrevive”, frisou.

Estado

Apesar de reconhecer que propor uma emenda não significa necessariamente garantir sua execução pelo governo do Estado, o deputado José Aldemir (PEN) vai destinar as 15 emendas a que tem direito para a saúde e educação no Sertão paraibano, onde estão suas bases. Cerca de 90% das emendas apresentadas por ele ao orçamento do próximo ano serão as mesmas propostas ao deste ano. “Serão repetidas porque a gente discute, traz as emendas traduzindo o sentimento da população, a reivindicação justa do povo da região e o governador faz ouvido de mercador. Não executa aquilo que foi proposto pela própria população”, desabafou.

Uma das emendas apresentadas por Aldemir terá por objetivo viabilizar a instalação de um núcleo do Instituto Médico Legal (IML) no município de Cajazeiras. “Apesar de já ter sido aprovada (emenda) três anos subsequentes o governador não executou a obra, nem implantou o núcleo”, afirmou. O líder do governo garantiu que várias emendas apresentadas pelos deputados foram transformadas em projetos e ações do governo ao longo da execução orçamentária deste ano.

 

Sobre as emendas
– Poderão ser apresentadas emendas coletivas e individuais
– 15 é o limite de emendas individuais para cada deputado
– 5 é o limite para emendas coletivas de cada Comissão Permanente e bancada partidária ou bloco parlamentar
– As emendas podem ser de meta, apropriação, remanejamento e texto
– R$89,3 milhões é o valor que o governo do Estado reservou para execução das emendas parlamentares em 2016
– 9 de novembro é a data limite para apresentação das emendas.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.