Política

Confusão entre deputado e vereador marca audiência do caso Luiz Antônio

Deputado agrediu vereador em depoimento; vereador fez BO e deputado diz que ‘defendeu honra’.




Câmara Municipal de Bayeux

Uma confusão marcou o depoimento do deputado federal André Amaral (MDB) na Comissão Processante da Câmara Municipal de Bayeux na tarde desta quarta-feira (3). O deputado é testemunha no processo contra o prefeito interino Luiz Antônio. Ele estava sendo questionado pelo vereador Betinho da RS (Podemos) no plenário da Casa quando se irritou com as perguntas e o agrediu.

De acordo com o procurador da Câmara de Bayeux, Aécio Farias, “eles estavam com provocações mútuas e partiram para as vias de fato”. A briga foi registrada em vídeos por várias pessoas que acompanhavam o depoimento.

Após a agressão, Betinho da RS deixou a Câmara e foi à delegacia, onde registrou um Boletim de Ocorrência contra Amaral. “O deputado federal não resistiu ao ser confrontado com a verdade de um outro depoente e partiu para a agressão verbal. Quando pedi a ele que me respeitasse, que ele não estava falando com nenhum capanga dele, foi o suficiente para ele levantar-se e, de forma covarde, partir para agressão”, contou o parlamentar.

>>Veja o momento da confusão entre o deputado federal e o vereador

O próprio deputado divulgou um vídeo em que conta sua versão da história. Segundo ele, Betinho disse que ele era “um deputado de meia tigela” que “tinha capangas”. “O vereador Betinho vem, reiteradamente, tentando me agredir, tentando desconstruir minha imagem, tentado me destruir politicamente, mas ele não consegue. Eu não sou de brigas, mas defendi a minha honra”, disse.

Mesmo com a confusão, o depoimento André Amaral e das demais testemunhas seguiram na Câmara. No entanto, Betinho da RS disse que vai pedir nesta quinta-feira que o a fala do deputado federal seja anulada.

O prefeito interino também estava na agenda para ser ouvido, mas passou por uma cirurgia de catarata na manhã desta quarta-feira e não compareceu à sessão.

Deputado seria alvo de ataques do investigado

Luiz Antônio é acusado de usar a máquina pública da prefeitura em benefício próprio. Ele foi flagrado em um áudio orientando a Comunicação Institucional a usar meios oficiais para atacar André Amaral. A denúncia foi aceita pela Câmara Municipal no dia 21 de novembro.

Após os depoimentos desta quarta, deve ser aberto o prazo de cinco dias úteis para que a defesa de Luiz Antônio apresente as alegações finais no processo. Para o advogado Fábio Andrade, que representa Luiz Antônio, a “denúncia é mero factóide” e deverá ser arquivada.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.