Política

Concessão de título de cidadão pessoense a Bolsonaro é alvo de protestos

Vereadores e manifestantes debateram projeto do vereador Carlão da Consolação.




Foto: Hebert Araújo/CBN

A proposta de decreto legislativo para concessão de título de cidadão pessoense ao deputado Jair Bolsonaro, apresentado pelo vereador Carlão da Consolação (PSDC), foi alvo de debates na Câmara Municipal de João Pessoa, na sessão desta terça-feira (10). Alguns parlamentares questionaram a legitimidade do pré-candidato à presidência da República para receber a honraria.

As críticas foram acompanhadas por manifestantes que ocuparam as galerias contra a proposta. Empunhando faixas e cartazes com dizerem como “Não quero Bolsonaro de conterrâneo”, alguns pessoenses pediram que a Casa não aprove o projeto do vereador Carlão da Consolação, protocolado por ele no último dia 2 de abril.

Militantes dos movimentos sociais, a vereadora Sandra Marrocos (PSB) e o vereador Humberto Pontes (Avante) questionaram que o artigo 209 do Regimento Interno da Casa permite que a honraria só pode ser concedida a personalidades que comprovadamente tenham prestado relevantes serviços prestados ao município de João Pessoa e ao estado da Paraíba.

Humberto Pontes cobrou que a Comissão de Constituição e Justiça analise bem o projeto para analisar as justificativas apresentadas pelo autor da proposta. “Confio nos vereadores e meus pares da CCJ que irão honrar o Regimento Interno da Casa. Quero que a CCJ diga e, se vier o requerimento e passar, do que este homem fez de relevante para a cidade de João Pessoa, para o meu estado e nem tão pouco para o meu Brasil”, cobrou.

Justificativa da honraria

 

Foto: Hebert Araújo/CBN

O vereador Carlão da Consolação criticou o posicionamento dos colegas de parlamento, destacando que a Casa concedeu o título a condenados e corruptos, fazendo referência ao ex-presidente Lula (PT), preso no último sábado (7). “Um condenado pode receber comenda desta Casa e um homem que luta contra a corrupção não recebê-la?”, questionou o parlamentar.

Carlão da Consolação destacou apresentou o projeto devido ao serviços prestados à Nação. “Jair Bolsonaro é conhecido por suas posições em defesa dos princípios e valores da família, em seus mandatos parlamentares, se destaca na luta contra a erotização infantil nas escolas e por um maior rigor disciplinar nesses estabelecimentos, pela segurança jurídica na atuação policial e pelos valores cristãos”, pontuou.

O debate foi encerrado com o posicionamento do vereador Thiago Lucena, que criticou o aparte de Humberto Pontes. “Não venha trazer a responsabilidade à CCJ. Se formos ao pé da letra do Regimento Interno não daríamos tantos títulos e honrarias que damos nesta Casa. Lula hoje não receberia porque hoje é ficha suja recebe. Título de cidadão tem que deixar de ser uma questão ideológica. Temos que ter a responsabilidade e eu puxo a ‘mea culpa’ para todo mundo, porque só possa receber honraria quem fez algo por João Pessoa”, declarou.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.