Política

Cícero Lucena toma posse para terceiro mandato como prefeito de João Pessoa

Em seu discurso, ele prometeu retomada das aulas presenciais e criação de comitê de crise da covid-19.




Cícero Lucena e Léo Bezerra tomam posse como prefeito e vice-prefeito de João Pessoa, respectivamente. Foto: reprodução/Youtube

Cícero Lucena (PP) tomou posse nesta sexta-feira (1º) como prefeito de João Pessoa, pela terceira vez, em cerimônia na Câmara Municipal. Ele volta a governar a capital paraibana 16 anos após a saída do cargo de prefeito, que ocupou entre 1997 e 2004.

Após fazer o juramento e assinar o livro de posse, assim como o vice-prefeito, Léo Bezerra (Cidadania), Cícero Lucena fez seu discurso como novo prefeito. Emocionado, ele disse que não tem como traduzir em palavras a emoção de voltar a comandar a cidade em um dos momentos mais difícil de sua história. “Caminhei pelos bairros, ouvi as pessoas e nas ruas encontrei esperança e na face da gente encontrei apoio, fé e obstinação”, comentou. “Estou aqui para cumprir essa missão”, completou.

Às 19h, logo após a posse na Câmara Municipal, o prefeito Cícero Lucena se dirigiu para o Paço Municipal para concluir o rito das solenidades, com a transmissão de cargo, feito pelo prefeito Luciano Cartaxo (PV) a ele.

 

Primeira ações

 

Cícero antecipou algumas das suas ações como prefeito, como a retomada das aulas presenciais e a criação de um comitê de enfrentamento à covid-19, com a participação da sociedade civil organizada, como médico, sanitaristas e técnicos. “Nossas decisões serão sempre ouvindo a ciência em defesa da vida e da preservação dos empregos”, assegurou.

Também mencionou outras ações, boa parte promessas de campanha, que pretende cumprir, como implantação da telemedicina, volta da entrega do remédio em casa, a requalificação do Hospital Santa Izabel como referência em hemodiálise, ampliação da habitação popular e fomento ao turismo, por exemplo.

Cícero assume com a sua equipe de auxiliares praticamente toda formada. Desde que deu início ao processo de transição de governo com o grupo do prefeito Luciano Cartaxo (PV), ele fez uma série de rodadas de anúncio de indicação de secretários para sua futura gestão, a última delas nesta quinta-feira (31).

 

Aglomeração

 

A posse de Cícero ocorreu após uma extensa solenidade de posse e eleições das Mesas Diretoras da Câmara Municipal. Apesar da eleição do vereador Dinho (Avante) para o primeiro biênio (2021-2022) ter ocorrido sem embaraços, com a unanimidade dos votos dos colegas de parlamento, a eleição de Bruno Farias (Cidadania) para o segundo (2023-2024) foi marcada pela disputa interna de Mikika Leitão (MDB), que tentou manobrar na Justiça para evitar que ela ocorresse e depois deixou o plenário em uma segunda tentativa de obter êxito na empreitada.

O evento foi realizado de forma presencial, mesmo com as recomendações dos Ministério Públicos Federal e Estadual para que fossem evitadas aglomerações, em respeito ao decreto estadual que veda a realização de eventos públicos em municípios que não estejam classificados na bandeira verde.

No plenário, a transmissão da solenidade registrou aglomeração de pessoas com a presença dos parlamentares e assessores parlamentares e da Casa, além da imprensa que foi ao local fazer a cobertura.

 

Quem é Cícero?

 

Cícero Lucena venceu as eleições municipais em João Pessoa no segundo turno, com 53,16% dos votos válidos, contra 46,84% do adversário, o radialista Nilvan Ferreira (MDB).

Líder em todas as pesquisas do Ibope, Cícero Lucena voltou a disputar uma eleição após seis anos afastado da política. Para isso, ele deixou o PSDB, onde construiu grande parte da carreira e se filiou ao Progressistas. Na disputa também contou com o apoio do governador João Azevêdo (Cidadania), que indicou o vice na chapa, o vereador Leo Bezerra (Cidadania).

Ex-prefeito de João Pessoa, por dois mandatos, Cícero tem 63 anos e nasceu em São José de Piranhas, mas se mudou muito jovem para a capital. Empresário da construção civil, fixou residência, constituiu família e assumiu funções de destaque no estado. Ele também foi governador da Paraíba, senador e chefe da Secretaria Especial de Políticas Regionais, órgão do Ministério do Planejamento.

O ex-senador só assumiu a intenção de voltar a participar de uma disputa eleitoral neste ano. Até 2019, a resposta para qualquer pergunta neste sentido vinha acompanhada de uma negativa. Cícero exerceu o último mandato eletivo até janeiro de 2015, quando deixou o Senado. Ele disputou a eleição para prefeito de João Pessoa em 2012, mas foi derrotado para o atual prefeito, Luciano Cartaxo (PV). Depois disso, teve as portas fechadas em 2014, quando pensou em disputar a reeleição para o Senado na chapa de Cássio Cunha Lima (PSDB).

Foto: Ascom

No primeiro turno, Cícero obteve 75.610 votos (20,72%) e terminou em primeiro lugar na disputa. Após o resultado, o vereador João Almeida (Solidariedade) e o procurador Carlos Monteiro (Rede), que foram candidatos à prefeitura de João Pessoa, declaram apoio a Cícero Lucena.

Os partidos PSL, que esteve na base de João Almeida, além do PCdoB, que teve o candidato a vice e apoiou o candidato a prefeito Anísio Maia (PT) também decidiram apoiar Cícero, após o resultado das urnas do dia 15 de novembro.

Durante a campanha realizada neste segundo turno, Cícero decidiu adotar um tom de atribuir a Nilvan o papel de ‘falsear a verdade’, atrelando o candidato à Operação Vitrine, deflagrada em 2017, quando Nilvan Ferreira foi acusado de comercializar produtos falsos de marcas famosas de roupas e acessórios.

Em sua defesa, Cícero resolveu investir no discurso de que é um gestor preparado, se apegando aos cargos políticos que já ocupou no passado, inclusive o de prefeito de João Pessoa. Sua propaganda eleitoral enfatizou obras e programas realizados durante as duas gestões em que ele comandou a capital paraibana.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.