Política

Cartaxo diz que PSB quebrou acordo ao procurar PSDB e DEM

Cartaxo contou ao programa Paraíba Agora da Rede Paraíba Sat e confirmou ter assinado acordo com PSB. Mas fez questão de dizer que cumpriu sua parte.




Da Redação

O vice-governador do Estado, Luciano Cartaxo (PT), deu explicações no início da tarde desta terça-feira (6) sobre um compromisso público assinado por ele em junho de 2006. No documento, ele se compromete a apoiar o Partido Socialista Brasileiro (PSB) nas eleições de 2008 e 2010.

No entanto, o direcionamento do PT e do PSB para 2010 estão cada vez mais distantes. Enquanto o PT se torna cada vez mais próximo do PMDB, o PSB tem aberto diálogo com os partidos DEM e PSDB, o que leva a crer que o vice-governador vá preferir se manter fiel ao partido de José Maranhão a cumprir o acordo e apoiar o PSB, de Ricardo Coutinho.

Cartaxo participou do programa Paraíba Agora, da Rede Paraíba Sat, e confirmou ter assinado o documento, mas disse que quem havia quebrado o acordo teria sido o próprio PSB, quando resolveu conversar com os partidos de direita deixando de lado as alianças feitas em 2006.

O vice-governador disse que a razão do acordo na época era manter firme a ligação entre os partidos que faziam oposição ao então governador Cássio Cunha Lima (PSDB) e que ele é, ainda hoje, o principal defensor da aliança construída entre PT, PMDB e PSB.

O petista afirmou ainda que existe a mudança no cenário político não está sendo provocada por ele. Cartaxo fez questão de dizer que não apoiaria o PSDB ou o Democratas. “Não vou rasgar minha biografia com posições contrárias à minha história, não vou fazer aliança com quem é contra o governo Lula”.

Cartaxo também citou uma entrevista do chefe de gabinete da prefeitura de João Pessoa, Nonato Bandeira, dada à imprensa local, em que ele afirmava que o prefeito da Capital teria aberto mão de um nome do PSB para a chapa do governador Maranhão em favor do PT e que isso lhe daria o direito de ter uma chapa “puro sangue” para 2008.

Resposta

Ao final da intervenção do vice-governador, Nonato Bandeira também resolveu dar sua versão da história na Rede Paraíba Sat e, por telefone, se mostrou indignado com o fato de Luciano Cartaxo mencionar as possíveis alianças entre Ricardo Coutinho e Cássio Cunha Lima.

Bandeira sugeriu que o vice-governador apenas dissesse que não poderia cumprir o acordo ao invés de "tentar achar motivos para justificar seus atos no PSB". "Ele mesmo admitiu que nós cumprimos nossa parte do acordo, não vejo porque ele nos culpar", concluiu.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.