Política

Após troca de partidos, lideranças estão de olho nas vagas de vice-prefeito

Passado o período das mudanças estratégicas, partidos e lideranças começam agora a disputa por vagas nas chapas majoritárias.




Após o ‘troca troca’ de partidos, as lideranças políticas iniciaram a disputa por uma vaga nas chapas majoritárias que vão disputar as eleições de outubro. Em João Pessoa, onde cinco pré-candidaturas estão postas atualmente, a maioria ainda evita falar abertamente sobre as pretensões políticas. As mudanças estratégicas foram feitas para ganhar mais espaço nas eleições e motivadas, em sua maioria, pela insatisfação dos parlamentares com suas antigas legendas.

O deputado João Gonçalves, que estava insatisfeito com as decisões do PSD no Estado, deixou o partido para se filiar ao PDT, partido da base do governador Ricardo Coutinho (PSB). O presidente estadual do PSD, Rômulo Gouveia minimizou a saída de Gonçalves ao afirmar que ele não seguia as decisões partidárias. A estratégia de se filiar ao PDT elevou as chances do deputado estadual figurar com candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por João Azevedo (PSB) à prefeitura de João Pessoa. Por enquanto ele evita confirmar suas pretensões, assim como o presidente estadual do partido, Damião Feliciano.

A vaga de vice-prefeito na chapa socialista também é cobiçada pelo PTdoB, do deputado Genival Matias, que filiou na última sexta-feira a professora Leila Fonseca. Ela foi candidata ao Senado nas eleições de 2014, quando obteve 26 mil votos somente na capital. O partido já decidiu que vai indicar seu nome para o cargo de vice-prefeita nas eleições deste ano, mas ainda não definiu qual pré-candidatura vai apoiar.

A decisão deve ser anunciada após reunião do diretório municipal, sem interferência da executiva estadual, que apoia o PSB no cenário estadual. A orientação do presidente estadual, Genival Matias, é que o diretório siga com a candidatura socialista na capital, porém, não haverá imposições. Leila Fonseca era filiada ao Pros, partido que sofreu intervenção no estado e a partir da janela partidária conseguiu filiar os deputados Trócolli Júnior e Lindolfo Pires.

Trócolli Júnior atualmente está licenciado das atividades parlamentares para comandar a Secretaria de Articulação Política. Ele deixou o PMDB por não concordar com a pré-candidatura de Manoel Junior e outras decisões internas da sigla. Já Lindolfo Pires, também licenciado na Assembleia, se desfiliou do DEM, que também perdeu um vereador na Câmara Municipal de João Pessoa. Membro da bancada de situação na Câmara, Bosquinho saiu do partido e se filiou ao PSC, que deve apoiar a pré-candidatura de Manoel Junior na capital. 

LIBERDADE

No entanto, o presidente da legenda, Marcondes Gadelha, afirmou que deixará o vereador livre para apoiar a reeleição de Luciano Cartaxo (PSD). Após confirmar apoio à pré-candidatura peemedebista, o PSC já teria inclusive recebido convites para indicar nome para o cargo de vice-prefeito. O mais cotado para ocupar o espaço é o ex-deputado federal Leonardo Gadelha, mas a decisão ainda não foi confirmada pelo PMDB.

Se as pretensões do vereador Lucas de Brito se confirmarem, nos próximos dias a capital pode ganhar mais um pré-candidato a prefeito. O parlamentar preferiu não esperar até o dia 2 de abril e se filiou na última sexta-feira ao PSL, partido que apoia o governo. Após oito anos no DEM, ele deixou o partido demonstrando seu descontentamento. O vereador colocou seu nome à disposição para disputar a prefeitura.

Luciano Cartaxo (PSD)

O atual prefeito foi eleito tendo o PPS como ‘sócio" na chapa majoritária. Agora, poderá fechar com PSDB, PP, PHS ou PMN para a disputa

João Azevedo (PSB)

Mesmo sem densidade eleitoral, confia no governador Ricardo Coutinho para se fortalecer. Pode fechar com PSL, DEM ou PDT

Manoel Junior (PMDB)

Sofreu bastante com as defecções no seu partido. Diz conversar com várias siglas, mas sua maior proximidade é com o PSDB

Wilson Filho (PTB)

Deu uma recuada nas articulações. Anunciou PTC, PMB e PHS como aliados, mas acabou perdendo o apoio deste último

 

REFORÇO

Após perder dois deputados na Assembleia Legislativa, o PMDB filiou na sexta-feira o ex-presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Marcelo, que deixou o PEN. Ele recebeu convites do presidente do partido, senador José Maranhão (PMDB) também do deputado federal Manoel Júnior. As mudanças de partido ocorreram com base na janela partidária, que fixou prazo de 30 dias para que os políticos mudassem de legenda sem punição por infidelidade partidária.  

Pros                Lindolfo Pires, Trócolli Júnior
PMDB             Ricardo Marcelo
PSB                Gervásio Maia, Zé Paulo
PP                   José Aldemir
PSC                Bosquinho
PHS                Marco Antônio, Pedro Coutinho
PC do B         Helton Renê
PSL                Lucas de Brito
DEM               Raoni Mendes
PR                   Djanílson da Fonseca
PMN                Santino


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.