Política

Após novo vídeo com prefeito, vereador defende novas eleições em Bayeux

Autor do pedido de cassação de Berg Lima, Adriano Martins disse que pode fazer o mesmo com Luiz Antônio.




O vídeo em que o prefeito interino de Bayeux, Luiz Antônio (PSDB), aparece supostamente cobrando propina a um empresário repercutiu na Câmara Municipal da cidade nesta terça-feira (24). Autor do pedido de cassação do prefeito afastado, Berg Lima (sem partido), o vereador Adriano Martins (PMDB) defendeu novas eleições no município e disse que o legislativo precisa se posicionar diante desta nova denúncia. Após a sessão, os vereadores se reuniram para discutir a situação da gestão municipal
 

Adriano Martins afirmou na tribuna da Casa que o possível crime de Luiz Antônio, não apaga o que foi cometido por Berg Lima, que está preso desde o começo de julho, e disse que se for preciso também pode pedir a cassação do prefeito interino. “Não podemos apagar, justificar um erro que foi cometido, cometendo outro. Que se [Luiz Antônio] tiver culpa, que seja punido. Que essa Casa faça sua obrigação, como fez com o prefeito que está preso. Estou à disposição para fazer do mesmo jeito que fiz com o outro”, disse.

Para o vereador, o melhor caminho para Bayeux seria a realização de novas eleições. “Que as pessoas possam escolher seus representantes. Não temos culpa de uma aliança mal feita, não temos culpa se o grupo [que assumiu a prefeitura] se dividiu”, pontuou Adriano Martins.

A sessão da Câmara de Bayeux foi rápida, durou pouco mais de 30 minutos. Assim que ela foi encerrada, o presidente da Câmara, Mauri Batista (PSL/Livres) convocou uma reunião com os vereadores. A reportagem do JORNAL DA PARAÍBA tentou um contato com ele para saber como a Câmara deve se comportar diante da nova situação no Executivo, mas as ligações não foram atendidas.


O vídeo

Na gravação divulgada nesta terça-feira Luiz Antônio aparece conversando com o empresário Ramon Acioli, ex-secretário da Indústria e Comércio do Município, na gestão de Berg Lima. No vídeo, Luiz Antônio teria pedido R$ 200 mil para que o ‘escândalo’ contra prefeito ganhasse as ruas com estardalhaço. As imagens foram feitas um dias antes da prisão de Lima.
 

Luiz Antônio diz a Ramon Acioli que tem gravações comprometedoras contra Berg. Garante que a saída do prefeito do poder é questão de dias. O dinheiro seria para pagar empresas de comunicação que divulgariam as irregularidades. Após isso, ele garantiu, o Ministério Público da Paraíba cairia em cima do assunto. No vídeo, o empresário pede para ver o material e recebe a promessa de que ele será repassado. Acioli, então, questiona “pagar por uma coisa” sem ver o resultado final do que foi conseguido.

Em um determinado momento do vídeo, o então vice-prefeito alega que estava pedindo propina para comprar a imprensa: ele cita espaços em blogs, portais e cita nominalmente as TVs Cabo Branco e Tambaú. Sobre essa citação, a direção da TV Cabo Branco destaca que combate categoricamente qualquer ato de corrupção e afirma que repudia o fato do prefeito em exercício, Luiz Antônio, usar o nome da TV CAbo Branco para pedir propina. A TV esclarece que não tem controle sobre o discurso usado por políticos em suas negociações.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.