Policial

Taxista é sequestrado e tem carro usado para série de crimes no Agreste

Homem foi colocado em mala de carro em Campina Grande. Bandidos roubaram casa de comerciante e dispararam tiros contra agência bancária em município vizinho.




Karoline Zilah

Um taxista passou por momentos de terror na noite na madrugada desta quinta-feira (17), ao ser sequestrado e ter seu carro utilizado para assaltos. O crime teve início em Campina Grande e terminou no município de São Sebastião de Lagoa de Roça, onde os bandidos assustaram a população invadindo uma casa e disparando tiros contra o prédio de uma agência bancária. Todos os detalhes da noite teriam sido planejados.

De acordo com a Polícia Militar, o taxista José Romero de Farias, de 43 anos, estava em seu ponto próximo ao Banana Beer, no Centro, e deu corrida a duas mulheres por volta da 1h.

Elas pediram para seguir até o Bairro das Nações. A suspeita é de que elas tenha se passado por clientes para levar o motorista até o local onde três homens armados aguardavam para assumir o veículo. Após ser surpreendido pelo grupo, o taxista foi colocado dentro da mala do carro.

Já em São Sebastião de Lagoa de Roça, a cerca de 20 quilômetros de distância, os criminosos invadiram a casa do fazendeiro Antônio Pinheiro de Sousa e roubaram R$ 36 mil. Ele conseguiu escapar dos assaltantes fugindo para a residência de um vizinho.

Antes de ir embora do município, o grupo ainda disparou tiros contra a agência do Bradesco e quebrou a vidraça. O banco fica na mesma rua da casa que foi invadida. Algumas residências próximas também foram atingidas.

Ainda segundo a polícia, os bandidos só deixaram o carro após se certificarem de que os pneus estavam estourados. O veículo e o taxista foram deixados na zona rural. Alguns moradores que escultaram o tumulto no Centro da cidade ligaram para a Polícia Militar. Quando o carro foi encontrado, o condutor já havia conseguido sair da mala.

A PM fez diligências na região em busca de suspeitos mas, até as 7h desta quinta-feira, ninguém havia sido preso. O taxista foi levado para a Central de Polícia de Campina Grande para prestar queixa.

Conforme a Polícia Civil, esta é a segunda vez que o fazendeiro é assaltado. A suspeita é de que o mesmo grupo tenha praticado os dois roubos.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.