Policial

Supervisor do Galo é denunciado por agressão

Gil Baiano será investigado por suposta mordida no rosto de uma mulher. Atual supervisor de futebol do Treze foi detido e pagou fiança.



Leonardo Silva
Leonardo Silva
Inquérito foi instaurado na Delegacia de Repressão a Crimes contra a Mulher em Campina Grande

A Delegacia de Repressão a Crimes contra a Mulher instaurou inquérito para investigar uma denúncia de agressão que teria sido praticada pelo supervisor de futebol do Treze, Gilberto Alves da Silva, o Gil Baiano. O fato teria ocorrido por volta da meia-noite do último domingo, quando ele agrediu fisicamente uma jovem de 25 anos. Durante uma discussão o acusado teria mordido o rosto da vítima. Ela procurou a polícia e denunciou o crime e em seguida Gil Baiano foi preso em flagrante na própria residência em Campina Grande.

Conforme consta na ocorrência registrada na delegacia, a garota sofreu escoriações em decorrência das agressões provocadas por Gil Baiano. Ele foi encaminhado para a sede da 2ª Superintendência de Polícia Civil e acabou sendo liberado após o pagamento da fiança no valor de R$ 1.866,00. Há informações de que a vítima estaria mantendo um relacionamento amoroso com o supervisor de futebol e os dois iniciaram uma discussão depois que ela foi até a casa dele. O procedimento está sendo acompanhado pela delegada Herta França.

A delegada da Mulher Suelane Guimarães explicou que o acusado pagou a fiança e até o fim do processo deverá cumprir algumas normas estabelecidas pela Lei Maria da Penha, como a obrigatoriedade de comparecer a todas as audiências em que for convocado. Caso ele falte a alguma audiência poderá ser preso, conforme afirmou a delegada Suelane.

Atualmente, Gil Baiano atua como supervisor de futebol do Treze em Campina Grande, onde tem cuidado da contratação de reforços para o time na disputa do Campeonato Brasileiro da Série C.

DEFESA
A reportagem do JORNAL DA PARAÍBA falou por telefone com Gil Baiano, porém ele disse que só iria se pronunciar sobre a denúncia perante as autoridades da Justiça. O acusado se limitou apenas a negar que tivesse um relacionamento amoroso com a vítima.

O advogado Fernando Araújo, que atua na defesa de Gil Baiano, esclareceu que seu cliente estava em casa quando recebeu a visita da jovem e naquele instante os dois iniciaram uma discussão. O advogado ressaltou que desconhece o motivo da confusão. A garota teria mordido o gerente de futebol em uma das mãos e ele revidou mordendo a jovem no rosto. “Ele apenas respondeu a uma agressão praticada pela jovem”, defendeu o advogado que negou que o casal tivesse um relacionamento amoroso.

Fernando acrescentou que o acusado não deverá responder pela Lei Maria da Penha, já que o crime não configura violência doméstica. “Ele irá responder pelo crime de lesão corporal leve”, finalizou o advogado.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.