Policial

Presos três suspeitos de envolvimento no assassinato de jovem em Santa Rita

Jovem de 22 anos, desaparecido desde 31 de agosto deste ano, foi apontado nas investigações como membro de uma rede criminosa.



Umberlândia Cabral
Umberlândia Cabral
Suspeitos foram apresentados em uma entrevista coletiva

Foram presos três suspeitos de envolvimento no assassinato de Luan Fernandes da Silva Sousa, de 22 anos, desaparecido desde agosto deste ano na cidade de Santa Rita. Kelwen Bruno Belarmino Marcolino, conhecido como Bruninho, de 23 anos, Antonio Carlos da Silva, o Tota, de 30, e Wericles Junior Macedo Amâncio, o Juninho, 20, foram presos na última sexta-feira (2) com mandados de prisão preventiva.  Os detalhes da investigação foram divulgados pela Polícia Civil nesta terça-feira (6)

Durante a investigação, indícios apontaram a participação de Luan em uma rede criminosa que atuava no município, cometendo delitos como homicídios e crime contra o patrimônio público. “O que se verificou é que Luan queria sair da rede criminosa e eles não permitiram. Ficavam pedindo o carro dele emprestado para continuar cometendo crimes e a vítima começou a sentir falta da liberdade. Então os suspeitos foram até a casa de Luan e pediram que ele os levassem até a casa de um deles”, afirma o delegado de Crimes contra a Pessoa de Santa Rita, Carlos Othon.

Segundo testemunhas, por volta das 20h de 31 de agosto deste ano, dois homens foram a casa da vítima e pediram que os levassem até a residência de Tota. Luan avisou a mãe para onde ia e um dos suspeitos entrou no carro dele, enquanto o outro acompanhou o automóvel de moto. Após esse fato, ele não voltou mais para casa e a sua mãe denunciou o sequestro a polícia. Durante as buscas, a polícia encontrou o carro da vítima incendiado no bairro de Bebelândia, também em Santa Rita.

Os suspeitos não confessaram o crime e o corpo de Luan ainda não foi encontrado. As investigações ainda não apontaram a forma que a vítima foi assassinada. “Chegamos aos nomes de Bruninho e Juninho como os homens que foram até a casa de Luan, e que a mando de Tota, o terceiro suspeito, foram até o local do crime, que havia sido orquestrado entre os três”, revelou Carlos Othon.

“Além do caso de Luan, o Núcleo de Homicídios também apurou um assassinato que aconteceu no dia 5 de abril, no bairro de Eitel Santiago (em Santa Rita), quando Ronielson Silva foi morto em rua pública. Concluímos que ele também foi morto por Juninho e Bruninho”, afirmou o delegado titular da Delegacia de Homicídios, seccional Santa Rita, Everaldo Medeiros.

Os três suspeitos devem responder por homicídio qualificado, omissão de cadáver e formação de organização criminosa. Wericles Junior Macedo Amâncio, o Juninho, ainda deve responder por posse ilegal de armas, já que na casa do suspeito foram encontradas duas espingardas. Eles serão encaminhados a Penitenciária Padrão de Santa Rita, onde ficarão à disposição da Justiça. 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.